F.E. A Doutrina de Jesus Cristo.

--------------------------------------
OLÁ, SEJA BEM VINDO AO FÓRUM EVANGELHO.

CASO DESEJE PARTICIPAR DE DEBATES FAÇA SEU REGISTRO.

ESTE FÓRUM É ABERTO A PESSOAS DE TODOS OS CREDOS.

SE PREFERIR SER APENAS UM LEITOR, ACOMPANHE AS POSTAGENS.

"Conheçamos e prossigamos em conhecer a YHVH ( י ה ו ה )..." (Oséias 6.3)

Norberto
Administrador do Fórum Evangelho

Fórum evangélico, aberto à participação de pessoas de qualquer credo ou religião.


Teoria da Evolução

Compartilhe

Adauto
- Áqüila / Priscila -
- Áqüila / Priscila -

Número de Mensagens : 799
Data de inscrição : 13/04/2015

Re: Teoria da Evolução

Mensagem por Adauto em Seg 16 Maio 2016, 13:58


Tá, agora mostre lá você em como isso é aplicável à espécie humana, porque nada do que você está a dizer são fatos concretos, não passam do que se chama de TEORIA DA EVOLUÇÃO.
Evidências paleontológicas apontam fortemente nessa direção e o isolamento que populações hominídeas tiveram na África  durante uma das eras glaciais, diferenciando-se das populações na Europa é do conhecimento de todos  que gostam do assunto.  É preciso salientar que ambas as populações evoluíram se diferenciando no correr das gerações.
Se você quiser mais detalhes, basta estudar a história dos Neandertais.

E como você vai conseguir provar que os problemas genéticos já existiam no começo de uma nova espécie ?,,, ou neste caso da espécie humana ?

A questão não é provar que os problemas genéticos ocorriam... é provar que não ocorreriam. Já que o problema acontece hoje(!) sem qualquer sinal de dúvida razoável, por que não ocorreria num passado tão recente quanto o apregoado no Gênese?
Quais as provas científicas que podem ser apresentadas para defender a ausência de problemas numa realidade de consanguinidade absoluta?
A pergunta pode ser voltada para quem defende a TE, naturalmente. Nesse caso (e eu estou entrando em repetição), a realidade presente reforça a teoria, ainda mais com uma passagem de tempo tão curto, de poucos milhares de anos.

Nunca considerou que hoje existem problemas e doenças que já podem ser resultado de tantos cruzamentos genéticos ao longo do tempo ?

E o que isso tem a ver com a questão?


A pergunta não está mal formulada, ela reflete exatamente o que tem a ver com as
probabilidades, e é mais provável um casal de uma espécie resultar em outra espécie
do que vários casais ao mesmo tempo darem origem a uma nova espécie igual.

Sendo que novamente a probabilidades seriam maiores e mais difícil de acontecer,
pois teriam todos de evoluir no mesmo sentido e igualmente  

Não teriam que evoluir ao mesmo tempo.  Sua declaração não tem qualquer sustentação biológica. As mudanças genéticas ocorrem em membros de uma população e sua influência  no âmbito total ocorre de no correr de gerações e de cruzamentos, em que os que sofreram mudanças favoráveis para a própria sobrevivência e a sobrevivência de seus rebentos forem se impondo na comunidade. É muito simples.
Sua argumentação também não se sustenta, porque você está enxergando comunidades biológicas como seres com diferenciações genéticas precisas que a partir de um momento X passam a fazer parte de uma nova espécie. Isso não existe. Não existe um espécime ideal  do que se convêm chamar (por exemplo) lebre.  O que nós chamamos “lebres”,  são na verdade um enorme grupo de logomorfos com genética variável e em processo de mudança no correr do tempo. A lebre de hoje, tem diferenças genéticas das lebres ancestrais de 10 ou 12 mil anos atrás, por exemplo. Com o passar do tempo, as diferenças genéticas se acumulam de tal monta, que se quiséssemos  cruzar uma lebre atual com uma ancestral (numa louca viagem no tempo) não conseguiríamos.  Essa é uma das formas do que poderíamos (nos sustentando em Dawkins) de longo adeus.
 

Adauto
- Áqüila / Priscila -
- Áqüila / Priscila -

Número de Mensagens : 799
Data de inscrição : 13/04/2015

Re: Teoria da Evolução

Mensagem por Adauto em Seg 16 Maio 2016, 14:22

Isso é uma teoria que só funcionaria para a atualidade e parcialmente.
Você se colocar um casal saudável em uma ilha e eles começarem a ter filhos, por certo a população irá aumentar exponencialmente, e ainda que inicialmente não exista muita variação genética,, com a gerações seguintes isso deixaria de acontecer.

O conhecimento que temos do que aconteceu com sociedades fechadas, como por exemplo a tribo Vadoma, mostra o quanto você está errado.

Até chegar ao ponto que o parentesco não fosse sequer contado.

O que seria notado, seria a presença dos pobres aleijões.

O que você diz de ser preciso uma população maior é apenas especulação
sobre um tema que não passa de uma teoria.

Na verdade é sustentado pela observação da natureza, das sociedades  e dos estudos de biologia.
Já o que você afirma,  nem teoria  é. É uma afirmação órfã de sustentação não religiosa, usada na defesa de um dogma, custe o que custar, passando em cima de qualquer evidência contrária séria  que for apresentada.

E porquê toda uma população e não um só casal ?,, como uma teoria negaria algo,
se ela mesma não é prova de nada ?

O porquê de só um casal não daria certo já foi explicado. E uma teoria não prova... a função dela é explicar. Isso é básico. E a evolução das formas de vida é encarada como uma realidade acima de qualquer dúvida razoável dentro da biologia.

Veja se consegue contabilizar, mesmo sendo teorias...
Quais a probabilidades de uma espécie resultar em outra espécie ?
Por certo muitas probabilidades,, mas agora adicione o ELEMENTO RACIONAL, pois a
espécie humano não é simplesmente uma nova espécie,, ela é a única que raciocina.

Isso é discutível. Pelo jeito você está alheio às descobertas zoológicas mais recentes sobre inteligência animal.

Agora e já com as probabilidades elevadas a um expoente que nem você sabe explicar, imagine uma espécie ter vários dos seus elementos irracionais evoluírem para racionais, e isso tudo de uma só assentada e dentro da mesma comunidade.

(...)1
Sobre a irracionalidade, você  terá que recuar muito, mas muito mesmo entre os ancestrais do homo sapiens, para encontrar seres que poderiam ser classificados como irracionais.
A coisa não se dá num passe de mágica.

Conseguiria você dizer o quanto difícil isso é de acontecer ?

Considerando o tempo  envolvido, o número de entidades que já viveram no planeta e a diversidade desses seres, a pergunta correta seria: como isso poderia não ter ocorrido?

Repare, não é uma evolução física resultante do meio ambiente, é simplesmente um lado da evolução que unicamente existe uma espécie (humana) que realmente alcançou,
e mais nenhuma outra espécie ficou perto de ter alcançado.

Equívoco.  Mas calma...  um equívoco  provocada por ignorância, não por malícia e por isso, desculpável.

Em termos físicos você tem os primatas, com muitas semelhanças com os humanos, porque então não dão eles o próximo passo evolutivo e se tornam racionais como nós ?  

Pergunta aleijada, porque você não sabe se no futuro determinados   primatas atuais não evoluirão para formarem sociedades desenvolvidas como a nossa (se bem que esse desenvolvida é questionável). Segundo, como já disse, você não está a par dos estudos das capacidades mentais animais. Chamar animais como chimpanzés de irracionais, está se revelando um erro.


Pois é, e o problema mesmo é explicar como toda uma pequena população passou a ser racional,  coisa que mais nenhuma outra espécie conseguiu chegar perto, ou foi sequer repetido.

Outro erro, Tzaruch. De onde você tirou que os ancestrais hominídios do atual homo sapiens eram irracionais?
Veja,  rapaz, se você quer falar sobre determinado assunto, um mínimo de estudo será necessário. Você não é o primeiro que fala comigo sobre o assunto e se revela inacreditavelmente alheio à matéria que quer criticar. Você terá que estudar a base da base da Síntese Evolutiva Moderna, mesmo que for para falar mal dela. (...)2.

Há um entrave sim, e você mesmo o acaba de citar,, RACIOCÍNIO.
Um elemento de uma espécie passar a ser racional já é por si só demasiado complexo para ser aceite, visto que não existe repetição em mais nenhuma espécie, nem nosmais próximos que existem como os primatas atuais.

A questão é que você quer que de um grupo inapto para qualquer atividade cerebral sofisticada surja de repente um gênio. Não é assim que funciona. O que temos dentro da biologia é o surgimento de inteligencias  mais sofisticas  em grupos populacionais onde a inteligência já existia. E o termo raciocínio está sendo utilizado de maneira muito restritiva.
Pergunta Tzaruch: gorilas raciocinam? Golfinhos?
Faça uma pequena pesquisa que você se surpreenderá.

Agora imagine, como é encontrar lógica para ter toda uma comunidade isolada e que
por si só muda e passa a ser RACIONAL ?

A lógica está na deriva genética, pressões ambientais, supremacia dos mais adaptados onde uma mente mais complexa se mostrará uma vantagem.
É em fatores como esses que se encontra a lógica. Mas novamente a pergunta não está bem formulada, porque a racionalidade não surgirá assim, num passe de mágica. Na verdade, ela já existia em determinado nível, sendo apenas aprimorada para esse ou aquele aspecto.

Pondere da seguinte forma, e só a titulo de exemplo atenção.
Probabilidades de UM ELEMENTO de uma espécie evoluir para o raciocínio = 10.000.000
Probabilidades de 20 ELEMENTOS de uma espécie evoluir para o raciocínio = 20x 10.000.000 = 200.000.000
Ou seja, a dificuldade para um elemento ter essa evolução ÚNICA é muito grande,  quando mais não será para 20 elementos ao mesmo tempo terem a mesma evolução.
O resultado nem seria a multiplicação pelo número de elementos, mas sim pelas probabilidades de isso sequer acontecer, que são tão grandes que até hoje não se repetiu.

É bom que seja só a título de exemplo, porque é outra argumentação sabotada por sua própria superficialidade.  Um elemento de que espécie? De um canídeo, por exemplo.
Complicado, porque em determinado nível, ele já raciocina. Na verdade em termos olfativos, na identificação de cheiros de possíveis presas, de controle de territorialidade e confronto com outros predadores competidores, ele raciocina melhor do que eu, do que  você, do que Albert Einstein.
Esses números não dizem nada diante do processo de desenvolvimento da inteligência animal, do gigantismo dos “atores” participantes desse processo  e do tempo decorrido desde o aparecimento da vida animal no planeta.
Para se entender o processo é necessario conhecimento mais sofisticado do que o que envolve  a tabuada do ensino fundamental.

Qual é o conhecimento que você tem da evolução se só tem estado a falar de teorias ?

Se o nome do tópico é Teoria da Evolução, você esperava que eu falasse do que?


Tente perguntar à teoria evolutiva porque motivo só uma espécie conseguiu ser racional, sendo que todas as espécies tem tido os mesmos desafios, e ainda temos os primatas quefisicamente são semelhantes aos humanos, no entanto as probabilidades não ajudam eles a se tornar uma espécie racional como nós.
Vai ver que a teoria evolutiva vai enrolar na conversa e nas teorias, acabando por nada dizer.

Não vai.
Novamente eu repito que você está tendo uma imagem limitada do que significa racionalidade. Além disso, não há qualquer obrigatoriedade de uma espécie seguir a linha evolutiva de outra. Pode acontecer, mas não é uma obrigação lógica. Você também  está ignorando outras espécies hominídeas que atingiram diferentes graus de sofisticação mental.  E, naturalmente, o fato de que o homo sapiens seja a única espécie que atingiu um grau de sociedade mecanicista como a nossa,  não atesta em nada contra a Síntese Evolutiva Moderna, assim como não atesta o fato dos quirópteros serem os únicos mamíferos que desenvolveram real capacidade de voo. Uma capacidade que atingiu o top com uma determinada espécie ou espécies e não se repetiu em outra.
Simplicidade absoluta.
 


Última edição por Norberto em Seg 16 Maio 2016, 23:04, editado 1 vez(es) (Razão : ||| (...)2 = trecho omitido por rebaixar o argumento da outra parte.)
avatar
Adauto
- Áqüila / Priscila -
- Áqüila / Priscila -

Status : no perfil, defina seu status ou deixe em branco.
Sexo : Masculino
Número de Mensagens : 799
Idade : 54
Cidade/Estado : São Paulo
Religião : Cristão
Igreja : Católica
País : Brasil
Mensagens Curtidas : 16
Pontos de participação : 1578
Data de inscrição : 13/04/2015

Re: Teoria da Evolução

Mensagem por Adauto em Seg 16 Maio 2016, 14:37


Você além de não ter entendido está a falar de outras coisas.
Veja, o assunto é o surgimento da humanidade como nós conhecemos, onde você apontava uma evolução de vários membros de uma espécie ao mesmo tempo e em condições isoladas.
Sendo que é mais fácil isso acontecer só com um casal do que vários ao
mesmo tempo e com o mesmo tipo de evolução para o RACIONAL.


Lamento informar, Tzaruch, mas o “racional” (mesmo se formos usar o seu ponto de vista restritivo)  já existia antes do surgimento dos primeiros  homo sapiens sapiens e existiu fora dos  primeiros  homo sapiens sapiens durante boa parte de sua existência.
Sua declaração esbarra na sua ignorância sobre os antigos hominídeos.

E caso realmente queira pensar em evolução, troque um casal por uma célula, e veja se tem algum sentido várias células começarem a se dividir em duas, ou se faz mais sentido uma só célula inicialmente dar a origem a duas células.


Se isso promover a sobrevivência da criatura, faz muito sentido... e costuma promover.

A teoria da evolução além de ser teorias não consegue sequer encontrar o suposto "elo perdido", que seria um ancestral  


”Elo perdido”? Esse termo é muito deficiente. Fósseis transicionais  é mais correto e  eles existem aos montes.
Alguns exemplos: Ambulocetus, Pikaia, Tiktaalik roseae, Darwinius masillae, Cynognathus, Scleromochlus, Archaeopteryx, Ventastega curonica, Basilosaurus cetoides, Icthyostega, Ictiornis, Hesperornis, Ambulocetus natans, Eritherium azzouzorum, Rhodocetus kasrani,  Sinornithossauro, Sinosauropteryx,  Solenodonsaurus,  Deltavjatia vjatkensis, Lisboasaurus estesi , Melittosphex burmensis, Coelophysis, etc.

De fato uma teoria não tem provas para desconsiderar seja o que for, por isso você bem pode falar dessa teoria, mas não prova nada com ela.  


Os fósseis transicionais citados acima são considerados provas do processo evolutivo por toda a comunidade científica biológica séria. As evidências que sustentam o fato da evolução das espécies são muitas, são públicas, são fáceis de compreender por qualquer pessoa com a mente aberta. Quem estiver fechado em seus dogmas continuará repetindo  o “não existem!”, mais vezes do que A Dilma repete “é golpe!”.

Onde está o elo perdido?
Como todos sabem, uma coisa é uma coisa, outra coisa é outra coisa.
Ardipithecus não é Australopithecus, Australopithecus não é Homo erectus e urubu não é minha loira.


Piada fraca. Aqui estamos tratando de espécies diferentes e, qual o problema?

Por isso, é melhor que cada macaco fique no seu próprio galho e que se saiba aqui que Elo Perdido  não é aquele seriado que passava na tevê nos anos 70.


Na verdade alguns “macacos” não ficaram em seus galhos, abandonando-os para tentar a sorte em terra firme.

Elo Perdido é o último ancestral comum aos chimpanzés e seres humanos.

Você pode chamar de elo perdido até mesmo o ancestral em comum do Neandertal e de nós.  Devido a fragmentação dos registros fósseis  o ancestral em comum de determinadas espécies pode nunca ser encontrada. Algo comum, corriqueiro e  esperado...  mesmo antes de Darwin.

Depois dele, homem ficou sendo homem - até chegar ao Homo sapiens -
e chimpanzé continuou chimpanzé. A questão é quando e onde este ser teria vivido?


Possivelmente na África e a milhões de anos atrás. Mas seu raciocínio é simplista demais. Pois a linha que levou ao atual chimpanzé sofreu modificações, assim como a que resultou no atual sapiens.  Você mesmo mostrou exemplos dessas modificações, citando antigos hominídeos.

A teoria da evolução simplesmente fala de um assunto que não consegue provar.  


Declaração já comentada.

 Pois é, mas a questão é que você ainda não entendeu que não é simples evolução, é sim uma espécie que é RACIONAL, e que a mesma para ter um só casal que tenha evoluído para essa condição já requer probabilidades demasiado elevadas, quanto mais uma comunidade inteira em que todos se tenham tornado racionais igualmente.    


Declaração sem sentido (...). Uma dupla evoluir para a condição de seres racionais?
Eles nasceram de seres irracionais? Na verdade, se vamos falar de Adão e Eva, eles nem nasceram. E Eva não era mais do que um clone feminino de Adão, o que torna a questão genética ainda mais problemática.
O que você escreveu para contradizer a  Síntese Evolutiva Moderna não tem valor. Sinto muito.
 

Alexsandi
- Iniciante -
- Iniciante -

Status : no perfil, defina seu status ou deixe em branco.
Sexo : Masculino
Número de Mensagens : 16
Idade : 39
Cidade/Estado : Loanda
Religião : agnóstico
Igreja : Sem Igreja
País : Brasil
Mensagens Curtidas : 1
Pontos de participação : 41
Data de inscrição : 09/05/2016

O texo não é meu, mas é interessante, gostaria que vocês crentes dessem opiniões!

Mensagem por Alexsandi em Seg 06 Jun 2016, 09:55

O texo não é meu, mas é interessante, gostaria que vocês crentes dessem opiniões!

A Teoria da Evolução segundo a Bíblia

Atualmente, muitos pastores e teólogos procuram frizar muito que a teoria da evolução é totalmente contrária a Bíblia. Não obstante, muitos também afirmam que a Bíblia, em algumas de suas passagens, consegue se antecipar á alguns fatos descobertos pela ciência. Em outras palavras, a lei da gravidade, o ciclo hidrológico, a paleontologia, a arqueologia, a esfericidade da Terra, etc, todos esses assuntos são apoiados e antecipados na Bíblia - todos menos a Teoria da Evolução.

Por causa da negligência a Deus por parte do naturalista inglês Charles Darwin, a evolução tem sido a bandeira principal do ateísmo e também uma teoria totalmente contrária a Bíblia e a idéia de Deus. Alguns chegam a usar até o slogam "Deus versus Darwin", como se a Palavra de Deus e a Teoria da Evolução fossem verdadeiros opostos um do outro. Mas será que um é realmente o oposto do outro? Será que ambos não possuem algum ponto em comum? Poucas pessoas pararam para fazer esse paralelo. A idéia, então, consiste em pegar as principais leis da Teoria da Evolução e confrontá-las minuciosamente com o que a Bíblia diz, da mesma forma que já foi feito com algumas leis da Física. Dá a impressão de que encontraremos muitos erros... Mas na verdade, não.

Afirmar que a Bíblia está de acordo com a macroevolução das espécies, também, para muitos deve ser igual a dizer que dá para acender um fósforo dentro de uma piscina cheia de água. Pensar assim, porém, se deve á imagem que o criacionismo, especialmente o da Terra Jovem, tem pintado da evolução, como uma tese maligna, atéia, mentirosa, anticientífica e fruto de uma conspiração contra a tese bíblica. Mas a coisa não é bem assim; na realidade essa imagem degenerada que é passada da evolução é basicamente falsa. Isso acontece porque não se sabe diferenciar "Neodarwinismo" de "Evolução". O Neodarwinismo é uma tese que tenta explicar como e por quê a evolução acontece nas espécies (sendo assim, ela pode conter alguns erros também), mas que geralmente é defendida por ateus justamente por não levar em conta a questão espiritual; já a evolução, em si, é apenas o mecanismo evidenciado pelos fósseis, pelo DNA, pela anatomia comparada, etc que gera novas espécies, sendo que a respeito desse mecanismo sabemos que realmente acontece, não é fictício.

Por incrível que pareça, os fatos e leis que permeiam a evolução são evidenciados na Bíblia também, tal como a descrição da Terra redonda e a Gravidade. Veja algumas delas:

LEI DA ORIGEM COMUM UNIVERSAL

Muitos criacionistas afirmam que a teoria da evolução é "apenas uma teoria", que não foi comprovada, diferentemente de uma lei. Afirmar isso é um erro crasso, pois a teoria da evolução é uma teoria científica composta de várias leis, todas elas comprovadas (teoria científica é diferente de teoria popular). Uma das mais citadas é a Lei da Origem Comum Universal.

Essa lei postula que todos os organismos na Terra descendem de um ancestral comum ou de um pool de genes ancestral.Ela foi, a princípio, formulada por Charles Darwin e todos os biólogos são unânimes a respeito dela, á excessão, claro, dos criacionistas. Dentre as evidências científicas dessa lei temos a universalidade do código genético, a possibilidade de se traçar uma árvore filogenética com base nas similaridades do DNA, dentre outras. Uma das mais relevantes evidências é pela estatística. Em 2010, Douglas L. Theobald publica um estudo na Nature avaliando a probabilidade de que toda a vida descendia ou de vários organismos ou de um único, tendo em conta a possibilidade de transferência horizontal de genes e sem partir do pressuposto que semelhança nas sequências de aminoácidos implique relação de parentesco genético. O investigador estudou 23 proteínas diferentes de 12 espécies dos três domínios da vida, incluindo o Homo sapiens, a levedura, o bacilo da tuberculose e o Archaeoglobus fulgidus. Os seus resultados indicam que a probabilidade de uma origem comum universal é 102860 maior do que a hipótese de haver mais do que um ancestral comum.

Em seu livro A origem das espécies, Darwin chegou a alegar que quando pensava nos seres vivos não como criações especiais, mas como descendentes diretos de seres primordiais, estes lhe pareciam "mais nobres". Essa afirmação do naturalista inglês pode nos fazer pensar que essa lei é contrária ao que diz a Bíblia. Aliás, para muitos criacionistas essa lei é absurda. Mas o mais surpreendente é que a Bíblia já falava de Origem Comum Universal muito antes de Darwin publicar seus estudos...

Em Eclesiastes 3:20, Salomão diz o seguinte:

Todos vão para um lugar; todos foram feitos do pó, e todos voltarão ao pó.

Essa afirmação atesta claramente que tanto o corpo físico do homem quanto o de todos os outros animais, ao término da vida, retornam para onde vieram, ou seja, o pó da terra. Não precisa forçar muito a mente para percebermos que nesse trecho já está explíscito a Origem Comum Universal: todos os seres vivos, incluindo o homem, tiveram uma mesma origem - o pó da terra. Essa lei, sendo assim, está em conformidade com o que diz na Bíblia, e para completar, os estudos mais recentes sobre o tema indicam que a argila foi um dos principais componentes do pool de genes ancestral que deu origem á toda nossa diversidade. Claro, a Bíblia deixa claro também que o autor dessa origem da vida e seu desenvolvimento foi Deus. Outras passagens relacionadas são Gênesis 2:7, Gênesis 2:19 e Gênesis 3:19.

A POSIÇÃO DO SER HUMANO

Não obstante, em Eclesiastes 3:18 - 21 o autor deixa claro algo que foi afirmado por Darwin e que chocou o clero daquela época: o homem é um animal. Muitos cristãos, se escandalizando com essa afirmação bíblica, dizem que esse trecho da Bíblia não foi inspirado por Deus, contrariando a idéia da inerrância bíblica. Mas basta analisar seu contexto com atenção para percebemos que essa passagem diz respeito á parte física do homem apenas, e não da parte espiritual, a parte que conforme Gênesis 2:7 Deus soprou nas narinas do primeiro homem.

A origem dos seres humanos de acordo com os estudos da evolução é outro ponto que possui muita coisa a ver com a Bíblia. A Palavra de Deus especifica que o homem foi criado a partir do barro, mas não explica como Deus fez "barro virar gente". para alguns judeus e teólogos atuais, a teoria da evolução é a melhor explicação científica de como isso aconteceu, visto que a Bíblia, em Gênesis 2, não diz quanto tempo Deus usou para criar o homem.

Assim como aponta a teoria da evolução, o homem, de acordo com a Bíblia, foi uma das mais recentes espécies a aparecer na Terra. E assim como apontam os primeiros capítulos de Gênesis, existiram outras raças humanas na terra no princípio, sendo que apenas a nossa espécie sobreviveu (a Bíblia afirma que a extinção das espécies anteriores foi por conta do Dilúvio). Tal relato é muito parecido com o que as pesquisas mais recentes apontam com relação ao convívio entre Neanderthais e Homo Sapiens. Mais detalhes sobre esse ponto você pode ler aqui e aqui.

O GRADUALISMO EVOLUTIVO

Outro ponto que podemos notar uma relação com o que ensina a teoria da evolução e a Bíblia é com relação ao gradualismo. Ao contrário do que muitos podem pensar, uma análise bem minuciosa - e um pouquinho mais literal - do texto do livro de Gênesis aponta mais para uma criação gradual do que para uma que aconteceu num "puf" (criação especial).

Pra começar, o texto de Gênesis 1 deixa claro que tudo foi criado gradualmente: primeiro a Terra, depois os vegetais, depois os tipos modernos de animais, e o homem. Se considerarmos os dias de gênesis como dias terrenos ainda pode-se notar essa gradualidade. Mas quando consideramos que os dias de Gênesis foram no tempo de Deus (o que é mais provável), o gradualismo fica ainda mais destacado. Claro, é de conhecimento que fora o gradualismo existem também outros "ritmos evolutivos" comprovados que podem ter atuado no passado, como por exemplo a tese do Equilíbrio Pontuado. A Bíblia, contudo, não nega o gradualismo e nenhum ritmo evolutivo, porém alega que foi Deus quem conduziu todo esse processo. E conduzir, nesse caso, não é exatamente apenas "dar o ponto de partida", mas sim conduzir passo-a-passo, selecionando os genes para que novos seres sejam criados.

Uma prova bíblica de que provavelmente foi dessa forma que a criação se desenvolveu está no Salmo 139, onde diz que Deus forma os ossos do ser humano no ventre de sua mãe. Ora, se hoje com a ciência moderna sabemos que os ossos e todo o organismo é formado por leitura do código genético, nada mais justo que admitir que Deus é quem "molda" nosso DNA, e isso é algo que não se pode provar cientificamente mas também não se pode contradizer cientificamente, pois já parte para uma questão mais espiritual do que científica. E juntando isso com o fato de que a Bíblia diz que Deus formou todos os seres vivos a partir do pó, como vimos anteriormente, temos nada mais nada menos que a evidência bíblica de transformação nas espécies ("desenhadas geneticamente" por Deus) e da lei do gradualismo evolutivo.

LEI DO ANCESTRAL COMUM

Por fim, temos a lei do ancestral comum. Esta última, inclusive, muitos criacionistas não negam que exista e alegam que sim, a Bíblia fala de ancestralidade comum.

Essa lei diz que todo grupo de organismos descende de um ancestral comum. Os dinossauros e as aves, por exemplo, divergiram de um mesmo ancestral (isso está documentado por não um, mais vários fósseis). Já os lobos e os cachorros, por sua vez, também divergiram de um mesmo ancestral. Enfim, se pegarmos todas as transições ancestral-descendente teremos uma árvore da vida dos seres vivos. E isso não é nem um pouco antibíblico. Em Gênesis 1:21, por exemplo, Deus cria os seres marinhos e aves do céu segundo as suas espécies. Esse termo, "segundo a sua espécie", na sua raiz hebraica original Baramin, remete a espécie no sentido de "tipo básico", "modelo básico de animal", o que aponta para espécies possuindo uma origem comum a partir de um tipo básico, ou como é dito cientificamente, um ancestral comum.

Uma boa parte dos criacionistas da Terra Jovem, nos dias de hoje, entendem que o termo "espécie" em Gênesis tem esse exato significado (o de uma origem por um ancestral comum) contudo eles dizem que há limitações na evolução das espécies, sendo possível apenas a microevolução. No entanto, a Bíblia não fala de limitação genética nenhuma, e também diversos estudos comprovam que a lei do ancestral comum diz respeito á macroevolução também, ou seja, existem provas da macroevolução. Uma delas, pouco mencionada pelos criacionistas, é uma experiência que o paleontólogo Jack Horner fez com um embrião de galinha, onde ao reativar o seu "DNA lixo" (genes antes ativos em espécies ancestrais) fez com que o embrião adquirisse características encontradas em espécies que tinham parentesco próximo com os dinossauros, como dentes no bico por exemplo.

CONCLUSÃO

Com tudo isso, vemos que a Bíblia indica que toda a variedade de espécies teve origens comuns, ou seja, várias "arvorezinhas da vida", que estariam interligadas biblicamente por terem uma mesma origem - pó da terra - e também um código genético universal (que aponta também um único Criador), o que por sua vez coloca todos os seres vivos em uma única árvore da vida, cuja raiz é a matéria primordial do qual a Bíblia fala. Coincidentemente ou não, esse é o perfeito e exato contexto da teoria da evolução.

Basta um pouco de bom senso e questionamento acerca daquilo que nos é oferecido como "verdade inquestionável" tanto no campo científico como no campo "religioso", e solicitar orientação a Deus, para que possamos ver que toda a briga que o criacionismo faz contra o conceito da evolução não traz melhoria nenhuma, nem para a ciência, pois os próprios postulados da teoria da evolução estão de acordo com a Bíblia (como acabamos de ver) nem para o campo espiritual, pois tentar pregar o evangelho usando postulados falsos (como o criacionismo vem fazendo direto, infelizmente) é fundar o alicerce de sua "casa" na areia, pois basta uma simples enchurrada e a casa desaba inteira. Mas se nós nos firmarmos na Verdade, e na Verdadeira Rocha (Jesus, que é o caminho, a verdade e a vida), pode vir a enchurrada que for que a casa permanecerá em pé!

BIBLIOGRAFIA:

http://www.evo.bio.br/LAYOUT/FAQ.HTML

http://pt.wikipedia.org/wiki/Origem_comum

http://www.passeiweb.com/saiba_mais/voce_sabia/2_darwin_teoria_evolucao

http://www.mundoeducacao.com.br/biologia/gradualismo-equilibrio-pontuado.htm

http://pt.wikipedia.org/wiki/Evolu%C3%A7%C3%A3o_humana


Postado por Rodrigo Gomes
http://genesisum.blogspot.com.br/2011/12/teoria-da-evolucao-segundo-biblia.html
avatar
Adauto
- Áqüila / Priscila -
- Áqüila / Priscila -

Status : no perfil, defina seu status ou deixe em branco.
Sexo : Masculino
Número de Mensagens : 799
Idade : 54
Cidade/Estado : São Paulo
Religião : Cristão
Igreja : Católica
País : Brasil
Mensagens Curtidas : 16
Pontos de participação : 1578
Data de inscrição : 13/04/2015

Re: Teoria da Evolução

Mensagem por Adauto em Seg 06 Mar 2017, 08:48

Evidências encontradas nas cavernas de Goyet (Bélgica) estão indicando que os neandertais praticavam o canibalismo. Os restos indicando isso foram datados e são de aproximadamente 40000 anos atrás, período em que  esses homens pré-históricos estavam entrando em declínio, seja  sob pressão ambiental, seja sob pressão dos homens modernos.
Sabíamos que eles  cuidavam de seus mortos, indicando uma certa preocupação (aqui estou me arriscando por conta própria) com uma existência pós morte. Agora sabemos que eles também devoravam seus semelhantes.

Assim como o neandertal devorava o seu semelhante,  o homem moderno devorava (eventualmente ainda devora) o seu.
O neandertal talvez tenha sido parte do nosso cardápio.

                                                                             

Conteúdo patrocinado

Re: Teoria da Evolução

Mensagem por Conteúdo patrocinado


    Data/hora atual: Seg 19 Fev 2018, 20:43