F.E. A Doutrina de Jesus Cristo.

--------------------------------------
OLÁ, SEJA BEM VINDO AO FÓRUM EVANGELHO.

CASO DESEJE PARTICIPAR DE DEBATES FAÇA SEU REGISTRO.

ESTE FÓRUM É ABERTO A PESSOAS DE TODOS OS CREDOS.

SE PREFERIR SER APENAS UM LEITOR, ACOMPANHE AS POSTAGENS.

"Conheçamos e prossigamos em conhecer a YHVH ( י ה ו ה )..." (Oséias 6.3)

Norberto
Administrador do Fórum Evangelho

Fórum evangélico, aberto à participação de pessoas de qualquer credo ou religião.


Sabatismo, o outro Evangelho - Parte II

Compartilhe
avatar
Jaime_Dias
- Moisés / Zípora -
- Moisés / Zípora -

Status : no perfil, defina seu status ou deixe em branco.
Sexo : Masculino
Número de Mensagens : 229
Idade : 63
Cidade/Estado : Curitiba Pr
Religião : Cristão
Igreja : Espiritual
País : Brazil
Mensagens Curtidas : 0
Pontos de participação : 378
Data de inscrição : 08/02/2013

Sabatismo, o outro Evangelho - Parte II

Mensagem por Jaime_Dias em Sex 07 Jun 2013, 21:32

.
SABATISMO - O OUTRO EVANGELHO - PARTE II

Bom estudo, Deus te abençoe em Graça e em conhecimento.

O HISTÓRICO DOS GUARDADORES DO SÁBADO DA ERA CONTEMPORÂNEA
Com a reforma de Martinho Lutero no início no século XVl, houve uma grande difusão de várias denominações protestantes; em 1.818, Guilherme William Miller um pregador Batista, começou a anunciar que Jesus voltaria à terra nos próximos 20 anos. Em 1.831 ele determinou que esta vinda seria em 23 de Março de 1.843 a 44, baseado em (Dn. 8:13-14); interpretando que as 2.300 tardes e manhãs da purificação do santuário, equivaleriam aos 2.300 anos do retorno de Esdras à Jerusalém em 457 A.C. Mas, fracassou completamente, e nem uma de suas previsões se cumpriram. Tentando justificar-se, Miller explicou à sua Igreja, que se enganara nos cálculos e em seguida marcou nova data, baseada no calendário judaico dos caraitas, para 22 de Outubro de 1.844, o que também falhou.

Depois do seu segundo fracasso, Miller abandonou a ideia de adivinhar o dia da vinda do Senhor, arrependeu-se e foi servir a Deus em sua denominação, vindo a falecer em 1.849.
Apesar da maioria do seu grupo, chamado “Movimento Millerita”, decepcionados com as profetadas de Miller ter desistido; o mal porém estava feito, a partir dai, não demorou muito para que O ESPÍRITO SABATISTA, surgisse com as mesmas ideias de Miller.
Vários grupos incentivados com aquelas previsões apareceram no cenário protestante, eram eles: Hiram Edson, Joseph Bates e James White com sua esposa ELLEN GOULD WHITE (que dantes, já havia recebido e escrito várias revelações?), começaram a fazer previsões, não somente sobre a Vinda de Jesus, mas, sobre muitos outros temas proféticos, principalmente do Apocalipse.

A GRANDE MANOBRA DOS ADVENTISTAS DO SÉTIMO DIA PARA PRESERVAR A GUARDA DO SÁBADO EM PLENO TEMPO DA GRAÇA
Ao contrário dos judeus sabatistas da circuncisão do início da Igreja primitiva, que tinham um zelo doentio não somente pela guarda do sábado, mas principalmente pela circuncisão e a guarda de toda a lei (Os dez mandamentos, os estatutos e juízos); já os sabatistas contemporâneos assumiram por conta própria, uma posição menos radical que seus patrícios do passado. Desde as suas primeiras reuniões, seus lideres mencionados acima, cogitavam entre si, uma fórmula mágica que viesse fundamentar a guarda do sábado no tempo da Graça.
Realmente estava difícil de sustentar a observância do sábado, pois a Bíblia era, e é bastante clara sobre “A FRAQUEZA E INUTILIDADE” (Rm. 8:3 – Hb. 7:18 ), da lei do primeiro concerto testamentário, a qual foi desfeita por Cristo na cruz.
“Na sua carne desfez a inimizade, isto é, a lei dos mandamentos, que consistia em ordenanças...” Ef. 2:15a.

“Porque o fim da lei é Cristo para justiça de todo aquele que crê. Rm. 10:4


Não havia base Bíblica capaz de sustentar a guarda do sábado em plena Graça; mesmo porque nos quatro Evangelhos, Jesus não deixou nenhum registro ordenando diretamente a sua guarda, muito pelo contrário, Gl. 4:9-10.
Foi então, que um de seus líderes, denominado Joseph Bates, de New Hampshire, Washington (U.S.A), que já tinha sido fermentado pelos Batistas do Sétimo Dia (grupo sabatista pioneiro), apresentou “A FÓRMULA MÁGICA” dos sabatistas: Um grande “REMENDO” nas Escrituras, que disfarçadamente conseguiu mesclar parte da lei e os profetas, com o Evangelho, constituindo-se assim na maior“MANOBRA SABATISTA”, até aos dias de hoje.
Graças a essa manobra, Joseph Bates instituiu a guarda do sábado em pleno tempo da Graça, criando oficialmente em 21 de maio de 1.863, sua denominação sabatista, que recebeu o nome de Adventistas do Sétimo Dia. De lá para cá, muitas outras denominações sabatistas descenderam dela, e também se contaminaram com seus ensinamentos errôneos.

COMO FUNCIONA O REMENDO SABATISTA
Eles separaram por conta própria, a lei do Sinai (os dez mandamentos, estatutos e juízos), que era “UMA MESMA LEI” (Lv. 24:22- Nm. 15:15-16); dividindo-a em duas leis distintas, focando mais nos dez mandamentos, não porque estes foram escritos pelo dedo de Deus, nas duas tábuas de pedra, (Êx. 31:18 ); mas, porque estava neles o que mais interessava sua doutrina: A guarda do sábado, e os denominaram de: “LEI DE DEUS, MORAL E ETERNA”
Ao passo que os estatutos e juízos, “ditados por Deus”, escritos por Moisés no livro do concerto (Êx. 24:1-8 ), foram desprezado por eles.
Estes receberam o nome de “LEI DE MOISÉS, CERIMONIAL E TRANSITÓRIA”, a qual, segundo eles foi abolida por Cristo.

A LEI DE DEUS, MORAL E ETERNA?
1. A lei de Deus...
Sim, o Senhor escreveu os dez mandamentos, com seu dedo em duas tábuas de pedras no Monte Horebe, com a finalidade principal, não de ser essa a Sua única lei, conforme pregam os sabatistas; mas, para serem “as tábuas do testemunho de todas as palavras” (Êx. 24:7-8 ) daquele concerto.
Êx. 31:18 E deu a Moisés (quando acabou de falar com ele no monte Sinai) as duas tábuas do testemunho, tábuas de pedra, escritas pelo dedo de Deus.

2. A Escritura fala de alguma lei moral?
Não, não encontramos em nenhum livro do A.T, ou do N.T, nem Deus, nem Moisés, nem algum profeta, nem Jesus e nem os Apóstolos ou discípulos; jamais afirmando que os dez mandamentos seriam um dia chamados de “LEI MORAL”. Não é em vão que a Escritura nos exorta: “Se alguém falar fale segundo as palavras de Deus...”
Este fraco argumento, além de ser extra Bíblico, também se constitui em um perigoso fermento, àqueles que querem apoiar a sua fé em dogmas humanos.

Aliás, o quê os dez mandamentos tem mesmo de Moral?
a. Se jamais, fortaleceu alguém; antes, deu força ao pecado. I Co. 15:56b.
b. Se jamais, justificou alguém; antes, trouxe o conhecimento do pecado. Rm 3:20-7:7.
c). Se jamais, vivificou alguém; porém trouxe o ministério da morte gravado em tábuas de pedras. II Co. 3:7.
d). Se jamais, salvou alguém; antes, serviu para condenar a humanidade. Rm 3:19.
e). Se jamais aperfeiçoou alguém; antes manifestou mais ainda, as imperfeições humanas. Hb. 7:19 – Rm. 7:18.

3. Lei eterna?
Não, as primeiras tábuas de pedra escritas pelo dedo de Deus (Êx. 32:16), não foram lavradas com a finalidade de serem eternas, mas sim, transitórias.
As Escrituras nos mostram claramente, no mínimo três motivos por que, nem os dez mandamentos nem os estatutos e juízos, escritos no livro de Moisés foram feitos para serem eternos:
a. Eles faziam parte do primeiro concerto transitório, que daria lugar mais tarde, ao segundo concerto, e eterno.
“E, se o ministério da morte, gravado com tábuas de pedras, veio em glória, de maneira que os filhos de Israel não podiam fitar os olhos na face de Moisés, por causa da glória do seu rosto, A QUAL ERA TRANSITÓRIA.” II Co. 3:7

b). Os dez mandamentos não eram eternos, pois, “quebraram-se ao pé do monte Sinai”.
“E aconteceu que, chegando ele ao arraial, e vendo o bezerro e as danças, acendeu-se o furor de Moisés, e arremessou as tábuas das sua mãos, “E QUEBROU-SE AO PÉ DO MONTE.” Êx. 32:19

c). Eles eram apenas: Sombras (Cl. 2:16-17 – Hb. 10:1), alegorias ( Hb. 9:9), figuras (I Co. 10:11); e testemunhos, das coisas que haviam de se anunciar (Hb. 3:5); de um segundo, melhor e Eterno Concerto.
“Eis que dias vêm, diz o senhor, em que farei “UM CONCERTO NOVO” com a casa de Israel e com a casa de Judá. Jr. 31:31.

Se aquele primeiro concerto do Sinai, com os dez mandamentos, estatutos e juízos, fossem eternos, haveria necessidade de Deus prometer a Jeremias séculos depois, um segundo e eterno concerto? “E farei com eles “UM CONCERTO ETERNO”, que não se desviará deles...” Jr.32:40a.

LEI DE MOISÉS, CERIMONIAL E TRANSITÓRIA?
1. Lei de Moisés...
As Escrituras no seu contexto do A.T. não fazem distinção de lei de Moisés e lei de Deus. Mas, chamam em várias passagens, todo o conjunto da lei do primeiro testamento: Os Dez mandamentos, os estatutos e os juízos, tanto de “LEI DE MOISÉS,(Ml.4:4), como de LEI DO SENHOR”. (Lc. 2:22-23). Denominando também, o próprio livro de Moisés, de LEI DE DEUS.Ne. 8:8 E leram "NO LIVRO," NA LEI DE DEUS; e declarando, e explicando o sentido, faziam que, lendo, se entendesse.

2. Lei cerimonial?
Não encontramos nenhuma menção nas Escrituras, que os estatutos e juízos um dia seria chamados de “lei cerimonial”, e nem que eram formados somente das leis dos sacrifícios de animais e ofertas de manjares, conforme pregam os sabatistas. Antes, encontramos sim, que existem vários outros preceitos importantes dentro deles.

3. Lei transitória...
Também, não encontramos na Bíblia, nenhuma menção de que, somente os estatutos e juízos, seriam transitórios. Vemos sim, que “TODO AQUELE CONCERTO DO SINAI” com sua lei foram transitórios, já visto acima.
Portanto, ao “ACRESCENTAR” nomes extra bíblicos na lei de Deus, tais como: Lei moral e lei cerimonial; e ao “DIMINUIR” o conjunto da lei, representadas pelos (dez mandamentos, estatutos e juízos), em apenas os dez mandamentos, os sabatistas transgrediram diretamente “DUAS VEZES”, a Palavra do Senhor registrada nos estatutos. Aliás, eles são ligeiros para usar estes versos abaixo, contra as denominações evangélicas; no entanto, diante de suas manobras doutrinária, fazem vistas grossas, para esses versículos.
“Agora, pois, ó Israel, ouve os estatutos e juízos que vos ensino, para os cumprir: Para que vivais, e entreis, e possuais a terra que o Senhor Deus de vossos pais vos dá.
NÃO ACRESCENTAREIS À PALAVRA QUE VOS MANDO, NEM DIMINUIREIS DELA, para que guardeis os mandamentos do Senhor vosso Deus, que eu vos mando.” Dt. 4:1-2


TRÊS MANOBRAS EM CIMA DO REMENDO
Além do remendo visto acima, os sabatistas lançaram mão de outra tática, para levar vantagem em suas pregações: Criaram três manobras, em cima do seu remendo.
-A primeira manobra:
Eles selecionaram todos os versículos bíblicos, que falam “A FAVOR DA LEI”, e os direcionaram para o lado da: “ LEI DE DEUS, MORAL ETERNA”. Exemplo:
Rm. 3:31 Anulamos, pois, a lei pela fé? De maneira nenhuma, antes estabelecemos a lei.

“Que diremos pois? É a lei pecado? De modo nenhum...” Rm. 7:7


-A segunda manobra:
De igual forma também, eles selecionaram todos os versículos bíblicos indefinidos que falam “CONTRA A SUA LEI MORAL”, e os jogaram para cima da “LEI CERIMONIAL DE MOISÉS”, afirmando que esta foi abolida por Cristo. Exemplo:
“Mas agora ESTAMOS LIVRES DA LEI, pois morremos para aquilo em que estávamos retidos...” Rm 7:6

Rm.10:4 Porque O FIM DA LEI É CRISTO para justiça de todo aquele que crê.

Notem que, Paulo já falava da mesma lei, “ANTES” (v.6); no entanto, negativamente. Porém, os defensores do sábado escapam descaradamente, afirmando que Paulo, não está falando da lei moral, mas da “lei cerimonial de Moisés”, que foi abolida por Cristo.

-A terceira manobra:
Embora, dificilmente os sabatistas prestigiem o Evangelho em suas reuniões (pois, honram mais Moisés, os dez mandamentos e o sábado nas suas pregações); o que não pode ser resolvido através das duas manobras acima, eles jogam para cima do Evangelho. Exemplo:
Se alguém de sua denominação adultera, ou peca contra qualquer dos mandamentos, como não podem mais, exercer O JUÍZO DA LEI, através do apedrejamento (Jo. 8:5), e como não podem fazer um julgamento particular, eles também não tomam nenhuma atitude bíblica corretiva contra o infrator do 7º mandamento. Assim, simplesmente jogam o caso para o Evangelho, sob misericórdia de Cristo. Jo. 8:11.

Esta terceira situação criada pela doutrina sabatista, têm sido uma faca de dois gumes:
-O lado positivo dela: Encontram saída para defender a sua doutrina em qualquer questão bíblica. Ora através da lei e os profetas, ora através do Evangelho de Cristo.
-O lado negativo: Manifesta a inércia da doutrina sabatista: Pois pregam “AS ORDENAÇAS DA LEI”, SEM A CORREÇÃO para os infratores dela.
Seria o mesmo que, os órgãos oficiais, colocassem em determinados lugares, várias placas de proibido estacionar, mas o guarda do Detran, não tivesse autoridade para multar o infrator estacionado debaixo da placa. E apesar disso, os órgãos oficiais, insistissem em colocar mais placas de proibido estacionar!

Alguém perguntaria: Porque eles continuam colocando as placas de proibido estacionar, se o guarda não tem mais autoridade para multar?
Também fazemos a mesma pergunta aos sabatistas: De que adianta então, pregar os dez mandamentos, se a sua igreja, “NÃO TEM MAIS AUTORIDADE PARA FAZER JUÍZO, AO INFRATOR?

Portanto, graças “AS TRÊS MANOBRAS EM CIMA DO REMENDO”, os sabatistas conseguem dar um nó na maioria dos evangélicos, que desconhecem o assunto; chegando até a tirar vários deles de sua denominação de origem, que não receberam antes dos seus meios teológicos, instrução nesse sentido; inclusive até pastores.
Portanto, manipulando assim a Palavra de Deus segundo os seus interesses, fica fácil deles se apresentarem na mídia, diante dos leigos, como os grandes defensores da lei de Deus.

Porém, Jesus sabendo de antemão que, os sabatistas iriam se infiltrar tanto na Igreja primitiva antes, quanto no meio da Igreja depois, com o intuíto de usar o Seu Evangelho como um remendo para continuar nas velhas práticas; alertou aos cristãos:
“Ninguém deita REMENDO de pano novo em vestido velho, porque semelhante REMENDO rompe o vestido, e faz-se maior rotura.” Mt. 9:16

A GRANDE BABEL SABATISTA
Conforme vimos, o próprio remendo criado pela doutrina sabatista, mostrou MAIOR ROTURA AINDA; tanto na sua manipulação, quanto na sua inércia; pois, a doutrina sabatista é tão confusa, que:
1.Pregam que Cristo aboliu os estatutos e juízos do livro de Moisés (sua lei cerimonial), mas não aboliram também, o dízimo contido nela. Dt. 14:22.

2.Pregam que Cristo aboliu os estatutos e juízos no Evangelho, mas, não sabem explicar porque eles estavam presentes no Antigo Testamento, e estão presentes hoje no Evangelho, e ainda continuarão vigentes no Reino Milenar de Cristo. Zc. 14:16-21.

3.Descartaram o livro do concerto, com a lei de Moisés; mas não falam nada dos “dez mandamentos” escritos também no mesmo livro. II Cr. 34:31.

4.Não conseguem explicar, o quê os dez mandamentos, que não são da fé (Gl 3:12), estão fazendo nas suas pregações do Evangelho de Cristo, "QUE É DA FÉ". Rm. 10:16.

5.Também fogem para explicar, como pode vigorar na sua doutrina:
-Dois testamentos ao mesmo tempo, o antigo e o Novo?
-Dois concertos ao mesmo tempo, o primeiro e o segundo?
-Dois ministérios, ao mesmo tempo, o de Moisés e de Cristo?
-Dois mandamentos referente ao amor ao próximo, o velho e o NOVO, ao mesmo tempo?
Aliás, em qualquer pais do mundo, e em qualquer dicionário, O NOVO É NOVO; mas, na doutrina sabatista, o antigo segundo maior mandamento da lei e os profetas (Mt. 22:39), é o mesmo, NOVO, segundo maior Mandamento do Evangelho de Cristo (Jo. 13:34). Que absurdo!!!

Advertência de Paulo aos que recebem outro evangelho
“Porque, se alguém for pregar-vos outro Jesus que nós não temos pregado, ou se recebeis outro espírito que não recebestes, ou OUTRO EVANGELHO que não abraçastes, com razão o sofrereis.” II Co. 11:4

Jaime e Júlio – Curitiba, Pr – Brasil
.

    Data/hora atual: Seg 11 Dez 2017, 18:53