F.E. A Doutrina de Jesus Cristo.

--------------------------------------
OLÁ, SEJA BEM VINDO AO FÓRUM EVANGELHO.

CASO DESEJE PARTICIPAR DE DEBATES FAÇA SEU REGISTRO.

ESTE FÓRUM É ABERTO A PESSOAS DE TODOS OS CREDOS.

SE PREFERIR SER APENAS UM LEITOR, ACOMPANHE AS POSTAGENS.

"Conheçamos e prossigamos em conhecer a YHVH ( י ה ו ה )..." (Oséias 6.3)

Norberto
Administrador do Fórum Evangelho

Fórum evangélico, aberto à participação de pessoas de qualquer credo ou religião.


Quais mandamentos da Lei foram reafirmados na Nova Aliança?

Compartilhe

Prof. Azenilto G. Brito
- Davi / Abigail -
- Davi / Abigail -

Número de Mensagens : 652
Data de inscrição : 20/01/2014

DILEMAS, DILEMAS, DILEMAS, DILEMAS. . .

Mensagem por Prof. Azenilto G. Brito em Sex 24 Abr 2015, 21:58


Um dilema dos contradizentes da questão de os 10 Mandamentos prosseguirem como Lei de Deus para a Igreja é que se negam isso, não estão só contrariando o pensamento adventista, mas dos luteranos, presbiterianos, batistas, metodistas, congregacionais, anglicanos, HÁ SÉCULOS (dizem exatamente o que os adventistas dizem, sem tirar nem pôr).

Vejamos um documento antigo, dos batistas e presbiterianos, e o que MODERNAMENTE os assembleianos apresentam em confirmação:

* Documento confessional de presbiterianos e batistas:


CAPÍTULO 19: A LEI DE DEUS

1. Deus outorgou a Adão uma lei de obediência, que lhe inscreveu no coração; e também um preceito particular, o de não comer do fruto da árvore do conhecimento do bem e do mal. Dessa maneira, Adão e toda sua posteridade ficaram compelidos a uma obediência pessoal, total, exata e perpétua, à lei. Deus prometeu vida como recompensa do cumprimento, e morte como castigo da quebra da lei, tendo dado ao homem o poder e a habilidade para guardá-la.

2. A mesma lei que uma vez foi inscrita no coração humano continuou a ser uma regra perfeita de justiça após a queda. E essa lei foi dada por Deus sobre o monte Sinai e inscrita em duas tábuas de pedra, na forma de dez mandamentos. Os quatro primeiros mandamentos contêm nossos deveres para com Deus, e, os outros seis mandamentos, nossos deveres para com os homens.

3. Além desta lei, comumente chamada de lei moral, Deus houve por bem dar leis cerimoniais ao povo de Israel, contendo diversas ordenanças simbólicas: em parte, de adoração, prefigurando Cristo, as suas graças, suas ações, seus sofrimentos, e os benefícios que conferiu; e, em parte, estabelecendo várias instruções de deveres morais.

As leis cerimoniais foram instituídas com vigência temporária, pois mais tarde seriam ab-rogadas por Jesus, o Messias e único Legislador, que, vindo no poder do Pai, cumpriu e revogou essas leis.
-- [Confissão de Fé Batista de 1689--referências bíblicas não adicionadas para poupar espaço]


* Livro de instrução para a Igreja, dos assembleianos:

”Será que as leis de Deus observadas pelos israelitas servem para os cristãos? As leis foram designadas para guiar todas as pessoas a um estilo de vida saudável, justo e voltado para Deus. Seu propósito é apontar o pecado e mostrar a maneira correta de lidar com ele. Os dez mandamentos se aplicam hoje assim como se aplicavam há três mil anos, pois proclamam um estilo de vida estabelecido por Deus. São a perfeita expressão da pessoa de Deus e como ele deseja como o povo viva.

“Mas Deus deu outras leis além dos Dez Mandamentos. Elas também são de igual importância para o cristão? Deus nunca estabeleceu sem um propósito. Entretanto, muitas leis que lemos no Pentateuco foram dirigidas especificamente ao povo daquele tempo e cultura. Embora uma lei cerimonial não se aplique diretamente a nós, a verdade, o principio nela contido sim. Por exemplo, os cristãos não utilizam o sacrifício animal como parte da adoração. No entanto, o principio por trás deste ritual, o perdão dos pecados e a gratidão a Deus, ainda é buscado, mas pelos méritos de Cristo, o sacrifício definitivo e perfeito. Os sacrifícios apontavam para a morte expiatória do Messias em prol do perdão da humanidade.

“No NT, é mostrado como a morte e a ressurreição de Jesus Cristo se deram em cumprimento das leis e das profecias do AT. Isto significa que enquanto as leis nos ajudam a reconhecer e a corrigir nossos erros, Jesus nos garante o perdão e a purificação dos nossos pecados. Cristo é o modelo a ser seguido, pois somente ele obedeceu à lei de forma perfeita e revelou os verdadeiros princípios nela contido”
. – Bíblia de Estudo Aplicação Pessoal, Almeida. (CPAD - Casa Publicadora das Assembléias de Deus), pág. 237 (sublinhado meu).

Agora, vejam o dilema:

Se esses amigos da “escola interpretativa” dispensacionalista dianenhumista alegarem que não se impressionam com o que dizem esses documentos (confirmado depois por inúmeras grandes autoridades em Teologia, como, partir dos Reformadores, Lutero, Calvino, Wesley,  Albert Barnes (presbiteriano), Adam Clarke (metodista), Jamieson, Fausset e Brown (batistas), Charles Spurgeon (batista), Billy Graham (batista) e muitos, muitos outros, estão dizendo que entendem MAIS e MELHOR do que eles todos. Será que sabem mesmo? São melhores e mais confiáveis intérpretes das Escrituras?

Se disserem que a Igreja evoluiu, e esses ensinos são superados, obsoletos, etc., criam novo dilema: por que, então, nenhum desses documentos foi desautorizado, desqualificado, descartado pelos luteranos, presbiterianos, batistas, metodistas, congregacionais, anglicanos, assembleianos?

E outro dilema mais: o que ensinam, quanto a não serem os 10 Mandamentos mais normativos à Igreja, qualificandos como “lei de Moisés”, o que resulta na atitude de ensinarem essas teorias de “lei abolida” e “dianenhumismo” (nenhum dia obrigtório mais a dedicar ao Senhor, quando muito adotando-se um dia meio do Senhor/meio meu mesmo [acho que está mais para 30%/70%]) terá que provado quanto a ONDE, QUANDO e POR QUE esse ensino foi OFICIALIZADO pelos luteranos, presbiterianos, batistas, metodistas, congregacionais. . .

Nunca ouvi falar de um concílio mundial de qualquer dessas denominações para desfazerem o que HÁ SÉCULOS acataram como expressão OFICIAL de suas crenças.

E, o pior de tudo, é que NÃO SABEM que as verdadeiras origens desses conceitos dianenhumistas procedem em ultima instância da visão de uma tal Margaret MacDonald em 1830, na Inglaterra, com noções erradas sobre a volta de Cristo (parecido com o ensino das “testemunhas de Jeová” a respeito), o que empolgou homens tais como Edward Irving, Nelson Darby, Cyrus Scofield a especularem na Bíblia daqui e dali para, finalmente, estabelecerem a teoria do dispensacionalismo, que tem dois vieses mais destacados--o da mirabolante escatologia israelocêntrica, e o viés de Lei X Graça, de modo que a suposta “dispensação da graça” (atual) teria suplantado a “dispensação da lei”. Daí e que chegam à conclusão de que não há mais 10 Mandamentos a serem seguidos, com o que o conceito de sábado (ou domingo) deixa de ser mandamento para passar a ser SUGESTÃO (se quiser respeitar um desses como dia do Senhor, tudo bem, nada contra. . . Se não quiser também, está bem. . .).

Então, são muitos os dilemas dos que se afastam da verdade bíblica, ¿verdad?

Vejam estes vídeos onde essas negras origens do dispensacionalismo (no que toca a escatogia) são debatidos por autoridades do maior respeito nos meios evangélicos:

* Vídeo do Dr. Russell Shedd (destacado teólogo batista)—ver a partir do tempo de 15’ e 42”:




* Bispo metodista Ildo de Mello:





Última edição por Prof. Azenilto G. Brito em Sex 24 Abr 2015, 22:06, editado 1 vez(es)

Prof. Azenilto G. Brito
- Davi / Abigail -
- Davi / Abigail -

Número de Mensagens : 652
Data de inscrição : 20/01/2014

LEI E CONCERTO--A GRANDE DIFERENÇA ENTRE OS DOIS CONCEITOS

Mensagem por Prof. Azenilto G. Brito em Sex 24 Abr 2015, 22:04


Olá Stanley

Aloha desde Kaunakakai, Molokai, Havaí

Eu postei o quadro anterior antes de ler o seu arrazoado. Bem, o Novo Concerto foi prometido a Israel primeiro. Mas parece que o seu problema, e de Washington e outros mais dessa linha dispensacionalista dianenhumista, é que não entendem a diferença entre LEI e CONCERTO. Não são a mesma coisa.  Veja por que digo isso:

O que é concerto? Vários sentidos podem ser dados: acordo, combinação, aliança, contrato, convênio, pacto. Se alguém aluga uma casa, estabelecerá um contrato (concerto) com o inquilino pelo qual ele se dispõe a cumprir suas estipulações—cuidar bem do imóvel, não cortar árvores do quintal sem autorização do proprietário, pagar os aluguéis em dia, pagar os impostos incidentes sobre o imóvel, etc. Esta é a “lei” que rege o contrato, firmado entre as partes. Se o inquilino falha em cumprir tais estipulações, o que termina é o contrato, não as estipulações referentes à locação da casa. Estas prosseguirão em efeito para serem cumpridas por novo inquilino com o qual o contrato vier a ser firmado. Daí, o fim do contrato não é o fim de sua “lei”.

O concerto é “novo”, mas não o seu conceito, e a lei é a mesma. Princípios como “não matarás”, “não furtarás”, “não adulterarás”, são acatados pelos cristãos como válidos e vigentes da lei divina sob o Novo Concerto.  Caso contrário, teríamos o caos universal, a nível público e privado.

O contrato entre Deus e Israel findou, não por que houvesse falha na lei que justificasse sua abolição (“a lei do Senhor é perfeita”—Sal. 19:7), mas porque o povo, que havia prometido “tudo quanto o Senhor falou, nós faremos” (Êxodo 19:8'), falhou miseravelmente em cumpri-la. Logo, a falha estava NO POVO, não NA LEI.

Ao longo da história do povo escolhido, novo concerto foi-lhe repetidamente oferecido (Eze. 36:26, 27; Jer. 31:31-33), mas os filhos de Israel não quiseram volver de seus maus caminhos. Assim, esse Concerto proposto ao antigo Israel é reiterado ao “Israel expandido” em Heb. 8:6-10; 10:16, que incorpora todos quantos são descendentes de Abraão pela fé (Rom. 2:29; Gál. 3:7 e 29).

Quando alguns pensam em termos de Novo Concerto logo imaginam que isso significa o FIM DA LEI como norma para os filhos de Deus. Só que uma leitura atenta do texto bíblico que trata diretamente da mudança do velho para o novo concerto destaca exatamente . . . a lei! Mostra que o Novo Concerto, chamado de “Minhas leis”, é sua base, sendo agora escritas pelo Espírito Santo nos corações e mentes dos que aceitam os termos desse Novo Concerto (ver Rom. 8:3 e 4). O texto de Hebreus NADA INFORMA sobre ausência ou substituição da lei de Deus em todos ou qualquer de seus mandamentos morais, sob o Novo Concerto.

Para desconsolo dos neoantinomistas/dispensacionalistas, o texto referido não fala em “lei do Espírito”, “lei da fé”, “lei de Cristo” ou “lei do amor”, mas “Minhas leis [de Deus]” que, obviamente abrangem todas estas e são as mesmas válidas e vigentes ao tempo de Jeremias. Afinal, o texto de Heb. 8:6-10 é mera reprodução de Jer. 31:31-33. Aqueles aos quais a epístola foi primeiro dirigida saberiam perfeitamente a que “Minhas leis” o autor se referia. Entendiam que a fé não anulou a lei divina, como Paulo explica em Romanos 3:31: “Anulamos, pois, a lei pela fé? De maneira nenhuma, antes, confirmamos a lei”.

Mas, e o cerimonialismo todo da lei do tempo de Jeremias?, alguém poderá perguntar. Não há problema nenhum. Os leitores primários da epístola também sabiam que àquelas alturas o véu do Templo se havia rasgado de alto a baixo, e o que isso significava—que os aspectos prefigurativos da lei cessaram, mas não os mandamentos da lei moral.

Aliás, esta SEMPRE foi a posição dos cristãos batistas, metodistas, presbiterianos, luteranos, anglicanos, etc., e até católicos, segundo se lê em suas confissões de fé e catecismos de séculos.


Stanley K
- Áqüila / Priscila -
- Áqüila / Priscila -

Status : no perfil, defina seu status ou deixe em branco.
Sexo : Masculino
Número de Mensagens : 757
Idade : 37
Cidade/Estado : Uberlândia - MG
Religião : Cristão
Igreja : Maranata
País : Brasil
Mensagens Curtidas : 14
Pontos de participação : 1815
Data de inscrição : 19/02/2015

Re: Quais mandamentos da Lei foram reafirmados na Nova Aliança?

Mensagem por Stanley K em Sab 25 Abr 2015, 10:37

Azenito a paz do Senhor Jesus!

Sobre o seu primeiro post, onde você diz ter postado os documentos oficiais protestantes, lhe digo que li o documento e não descordo.

O que descordo é de sua interpretação do contexto. Veja bem, se você afirma que no documento fica claro que as leis do A.T. devem ser seguidas (o que eu nunca disse que recuso), e mantidas hoje como referência, existem duas alternativas pra você, e espero que você me responda por qual delas opta.

1 - Ou você diz que as denominações protestantes adeptas deste documento estão ignorando suas confissões de fé, e sendo infiéis aos seus documentos originais.

2 - Ou você admite que a sua interpretação está errada.

Não existe outra saída pra isso, pois se você é quem está com a interpretação correta dos documentos e nenhuma desta denominações como Metodista, Batista, Ass. de Deus e ainda presbiteriana guardam o sábado, é de duas uma. Ou são todos infiéis à confissão de fé, ou você que entendeu errado.

Algumas considerações do documento pra transparecer um pouco mais meu pensamento.

A mesma lei que uma vez foi inscrita no coração humano continuou a ser uma regra perfeita de justiça após a queda.

Penso que existe uma lei da consciência nos homens a qual está relacionada a imago dei. Eu já disse e repito que leis morais como matar, adulterar, mentir, cobiçar etc estão na consciência humana, onde seja onde for no mundo desde que o homem foi criado por Deus, a consciência aponta para o erro quando o homem assim procede. Já citei casos comprobatórios lá no início, no diálogo entre Deus e Caim. Já o sábado, você realmente precisa me mostrar na bíblia, e de que maneira iriam guardar o sábado sem que Deus tenha ordenado e passado as diretrizes?...

3. Além desta lei, comumente chamada de lei moral,
Azenito, primeiro que comumente chamado não quer dizer que seja algo acatado como teológico. Dependendo do ponto de vista de alguém sobre moralidade, é mais do que aceitável que o decálogo seja em absoluto moral. Todavia eu não creio assim. Porque pra mim a moralidade de Deus é eterna, ela prevalece eternamente, este tipo de moralidade é diferente de você pegar exemplo como os do sábado e rituais e circuncisão e dizer que são morais, não podem ser, porque não prevalecem eternamente. Por acaso iremos nos circuncidar nos céus? Guardaremos o sábado nos céus? Neste aspecto eu descordo que seja leis morais. Já se tratando dos outros pontos, matar, adulterar, cobiçar, dar falso testemunho, amar a Deus sob tudo, estes sim independente da dispensação dos tempos, seja na Jerusalém celestial, são válidos. São comportamentos que independente de onde e quando estivermos devem ser respeitados e cumpridos. Aliás satanás caiu por desobedecer um destes ai.
Observe que no fim deste ponto 3, ainda é dito que parte das leis cerimoniais, são em parte leis morais. E aqui ratifica a diferença do que pode estar sendo taxado de moral por alguns diferente do que creio e proponho.

Os dez mandamentos se aplicam hoje assim como se aplicavam há três mil anos, pois proclamam um estilo de vida estabelecido por Deus. São a perfeita expressão da pessoa de Deus e como ele deseja como o povo viva.
Então, mas neste caso aquela crítica dos ASD a respeito de substituírem o sábado pelo domingo, sem base bíblica, eu estou com vocês. Se eu considerar o que está escrito acima, não teria outra alternativa, talvez seja por isso que alguns creem assim, e já vi até mudarem a tábua dos dez mandamentos substituindo o sábado pelo domingo. Eu descordo totalmente.
O que eu defendo, é que Cristo nos libertou da obrigação da lei. Logo a guarda de algum dia não se é cobrada por Deus assim como os outros pontos. Por exemplo: Agora na N.A. em Cristo, deixamos de roubar, não porque está escrito, mas porque entendemos pelo Espírito o mal, o quão errado é, não matamos outro homem, por nos ser revelado conforme a própria mente do Senhor pelo Espírito e não somente por estar escrito, não é mais mecânico Azenito, a pessoa lê e cumpre por força subjetiva e da carne, mas a compreensão (dada pelo Espírito) traz a veracidade, dignidade e objetividade do cumprimento da moralidade divina. Por isso eu ratifico com força, não há porque viver concentrado na lei após a N.A. em Cristo.
Mas em relação ao sábado, o que existe é uma superioridade nos tempos de Cristo que faz com que aquela sombra do que haveria de vir, (o descanso eterno) seja alcançado pelo homem e se cumpre nos salvos, já estão no descanso eterno, não faz sentido ficar fazendo alusão a um propósito que se tornou realidade. Hoje não importa o dia, alguns homens de Deus se dedicam quase de forma integral a Deus, todos os dias, a guarda de um dia não representa mais algo que está por vir, com exigências e rituais onde diga-se não faça isso, não faça aquilo, e sim vivenciam esta promessa todos os dias porque já são vivificados e salvos fazendo parte do reino dos céus. Quem inaugurou o reino dos céus Azenito? Sabe que foi Jesus. Por isso descordamos do significado de quando Jesus diz que é o Senhor do sábado. Ele é o cumprimento da promessa, é chegado a nós o reino dos céus através de Cristo. Em hipótese alguma poderíamos manter a expectativa do que haveria de vir sendo que o cumprimento chegou até nós, guardar as leis do A.T. como regra na minha opinião é ignorar a N.A. em Jesus Cristo.

Outrossim esta parte do documento diz quase o mesmo.

Deus nunca estabeleceu sem um propósito. Entretanto, muitas leis que lemos no Pentateuco foram dirigidas especificamente ao povo daquele tempo e cultura. Embora uma lei cerimonial não se aplique diretamente a nós, a verdade, o principio nela contido sim. Por exemplo, os cristãos não utilizam o sacrifício animal como parte da adoração. No entanto, o principio por trás deste ritual, o perdão dos pecados e a gratidão a Deus, ainda é buscado, mas pelos méritos de Cristo, o sacrifício definitivo e perfeito. Os sacrifícios apontavam para a morte expiatória do Messias em prol do perdão da humanidade.

Se disserem que a Igreja evoluiu, e esses ensinos são superados, obsoletos, etc., criam novo dilema: por que, então, nenhum desses documentos foi desautorizado, desqualificado, descartado pelos luteranos, presbiterianos, batistas, metodistas, congregacionais, anglicanos, assembleianos?
Acontece Azenito que nenhum documento pode estar acima das escrituras. Talvez no momento de escrever não se percebeu certa ambiguidade interpretativa. E se chegar um consenso de que isto tenha ocorrido, não vejo problema em fazer uma retificação. O que é impecável e não pode ser mudado em hipótese alguma, a bíblia ou o documento? Claro que a bíblia.

Nunca ouvi falar de um concílio mundial de qualquer dessas denominações para desfazerem o que HÁ SÉCULOS acataram como expressão OFICIAL de suas crenças.
Mas o ônus de que estão vivendo o contrário dos documentos é seu. Como disse antes, não creio que a interpretação seja assim como você está propondo. Já os que substituem o domingo pelo sábado, vivenciando um domingo da maneira como foi imposto o sábado na lei, esse distorce mais ainda. Não acredito que temos o domingo como um dia de descanso em referência ao sábado, mas sim que é um dia de culto em referência e respeito ao nosso Senhor Jesus, que ressuscitou no domingo. Outrossim quando um cristão recebe uma oportunidade de emprego que trabalha no domingo, sua preocupação não é com a lei, e sim com o relacionamento com Deus e comunhão com os irmãos que muitas vezes por causa de tempo é mais concentrada por ele em um domingo, onde no caso em que o emprego lhe venha a tomar apenas parte da manhã, permitindo que ele possa participar do culto público, as implicações são neste sentido, não no fato de não poder de maneira alguma trabalhar no domingo.

E, o pior de tudo, é que NÃO SABEM que as verdadeiras origens desses conceitos dianenhumistas procedem em ultima instância da visão de uma tal Margaret MacDonald em 1830, na Inglaterra, com noções erradas sobre a volta de Cristo (parecido com o ensino das “testemunhas de Jeová” a respeito), o que empolgou homens tais como Edward Irving, Nelson Darby, Cyrus Scofield a especularem na Bíblia daqui e dali para, finalmente, estabelecerem a teoria do dispensacionalismo[...].
Então irmão Azenito, eu gostaria de dizer que não tenho estas referências, e não que não sejam importantes, mas é que sempre existe os prós e contras. Eu não pego a referência de um pastor ou evangelista etc respeitado e conhecido por obras e tento dar maior prestígio e respaldo do que à palavra de Deus. O meu foco definitivamente é as escrituras, pois acredito que não se chega a conclusão bíblica sem revelação, e Deus revelou a alguns e continua a revelar, podemos ser um destes, se for da vontade DELE.

Sugiro nos mantermos com base bíblica e debater nossas opiniões, compartilhando nossas próprias idéias. No meu último post expus uma gama de versos do livro de Hebreus defendendo a dispensação. E você não comentou nem mesmo um. Se formos debater quero suas ideias.

Irei responder aos comentários do seus comentários subsequentes separadamente.

Graça e paz!
avatar
Gilcimar
- Áqüila / Priscila -
- Áqüila / Priscila -

Status : no perfil, defina seu status ou deixe em branco.
Sexo : Masculino
Número de Mensagens : 2190
Idade : 36
Cidade/Estado : Cariacica , ES
Religião : Cristianismo
Igreja : Adventista do Sétimo Dia?
País : Brasil
Mensagens Curtidas : 147
Pontos de participação : 5789
Data de inscrição : 10/03/2014

Re: Quais mandamentos da Lei foram reafirmados na Nova Aliança?

Mensagem por Gilcimar em Sab 25 Abr 2015, 14:18

Stanley escreveu:Penso que existe uma lei da consciência nos homens a qual está relacionada a imago dei. Eu já disse e repito que leis morais como matar, adulterar, mentir, cobiçar etc estão na consciência humana, onde seja onde for no mundo desde que o homem foi criado por Deus, a consciência aponta para o erro quando o homem assim procede. Já citei casos comprobatórios lá no início, no diálogo entre Deus e Caim. Já [u]o sábado, você realmente precisa me mostrar na bíblia, e de que maneira iriam guardar o sábado sem que Deus tenha ordenado e passado as diretrizes?[u]...

Nobre Stanley...

Quando você falou sobre aquelas leis que fazem parte da consciência humana você listou algumas mas deixou uma ETC....

Quantas mais você colocaria ali?

Pois já sei que você tirou o sábado e com uma certa razão pois como uma tribo de índios no meio do mato sem contato algum com outros povos vai saber que o sétimo dia da semana é um dia de sábado que Deus santificou depois de descansar de obras relacionadas a sua experiência de criador lá na criação?

Mas não só o sábado mas por falta de instrução ou de informação esse povo poderia fazer imagens de escultura para adorar e também achar que quem os criou foram os deuses...

Tem como só de consciência alguém sem a devida instrução saber tudo sobre Deus?

Mas se alguém se aproximar deles é instrui-los e eles decidiram escolher fazer aquilo que agrada a Deus e abraçar a sua aliança nada os impediria segundo Isaías 56:4

Com respeito a esse assunto o conselho que Deus deu a Israel é que nunca diga a um estrangeiro que se chegar a Ele as seguintes palavras: O SENHOR , com efeito, me separará do seu povo...(Isaías 56:3)

Abraços..!

avatar
Prof. Azenilto G. Brito
- Davi / Abigail -
- Davi / Abigail -

Status : no perfil, defina seu status ou deixe em branco.
Sexo : Masculino
Número de Mensagens : 652
Idade : 72
Cidade/Estado : Kaunakakai, Molokai, Havaí
Religião : Adventista do 7o. Dia
Igreja : Adventista do 7o. Dia
País : EUA
Mensagens Curtidas : 6
Pontos de participação : 1800
Data de inscrição : 20/01/2014

O SÁBADO NÃO É CERIMONIAL--EIS POR QUÊ.

Mensagem por Prof. Azenilto G. Brito em Sab 25 Abr 2015, 15:16


Olá, Stanley K

Aloha, desde Molokai, Havaí

Mahalo (obrigado, em havaiano) por sua detalhada resposta. Mas de pronto quero lhe dizer que não me vejo em nenhum dilema, e você apenas confirmou os vários dilemas que eu acentuei. Veja bem, o que se dá é que realmente o ENSINO OFICIAL das Igrejas é exatamente como documentadamente lhe apresentei. Agora, por que não guardam o sábado? Puxa, se pesquisasse TUDO o que dizem a respeito, entenderia--o sábado é DOMINGO para eles. Essa é a ÚNICA diferença, mas esse domingo não é para ser observado como um “domingão do crentão”, como se tornou a PRÁTICA das Igrejas, justamente pela tremenda influência do dispensacionalismo dianenhumista, que passou a ser a posição dominante dos cristãos no evangelicalismo moderno.

Por sinal, tanto os mórmons quanto os católicos ensinam normalmente o MESMO que nós ensinamos sobre os 10 Mandamentos serem ainda normativos aos cristãos (claro que com “adaptações” que não aceitamos por não terem respaldo bíblico). Então, os demais crentes, afetados por essa verdadeira LAVAGEM CEREBRAL a partir da promoção dispensacionalista dianenhumista é que influenciaram as demais Igrejas, que deviam manter-se fiéis e coerentes ao que estabelecem seus credos, confissões doutrinárias e tudo o mais. Os batistas tanto da CBB quanto da CBN, por exemplo, em sua Declaração Doutrinária, respectivamente arts. X e XV, acentuam que no “dia do Senhor” (que seria o domingo) não se devem ter atividades seculares nem recreativas. Até colocam como título do artigo “o sábado cristão”. Agora, tenho encontrado até pastores batistas que IGNORAM isso tudo, é incrível. . . Mas isso só acentua o tamanho da LAVAGEM CEREBRAL do dispensacionalismo em seu viés de “lei abolida”, que desembocou no “dianenhumismo”.

Agora, toda a sua argumentação, além de ambígua, não leva em conta que os 10 Mandamentos são ESPECIALÍSSIMOS porque foram proferidos diretamente por Deus aos ouvidos de todo o povo, após o que Ele “nada acrescentou” (Deu. 5:22). E registrou nas tábuas de pedra--SÓ OS 10 MANDAMENTOS. Todas as demais leis, e regras, e instruções sobre ritos e cerimônias, foram dados a Moisés em outra ocasião para serem escritos NOS ROLOS de sua redação. Daí que tenho um texto meu acentuando que Moisés cumpriu o papel de mero “office boy” no evento da outorga da lei no Sinai. Afinal, ele era apenas portador de uma cópia do DISCURSO de Deus a todo o povo.

Sua tentativa de transformar o sábado no ÚNICO preceito cerimonial dessa lei assim solenemente dada é um equívoco. O sábado NÃO É CERIMONIAL pelas seguintes razões:

O aspecto “cerimonial” da lei do sábado segundo alguns seria o “dia fixo”--7o. dia. Mas é EXATAMENTE no caráter de “sétimo dia” que temos o que é MORAL no mandamento, não cerimonial.

Pois é onde a lembrança do homem é orientada para o CRIADOR. O salmista Davi lembra:

“Grandes são as obras do Senhor, procuradas por todos os que nelas tomam prazer. A sua obra tem glória e majestade, e a sua justiça permanece para sempre. Fez com que as suas maravilhas fossem lembradas; piedoso e misericordioso é o Senhor”. -- Sal. 111:2-4.

O caráter de “sétimo dia” é que faz o homem ter essa LEMBRANÇA e RESPEITO pela obra do Criador. O tempo do sábado em si, suas 24 horas, nada têm de especial, mas o que SIGNIFICA esse tempo é o que importa.

Da mesma forma, as letras d-e-u-s em si nada têm de santas, mas o seu conjunto, na devida ordem, lembra um Ser que deve ser respeitado e adorado. Por isso é para respeitar o 3o. MANDAMENTO DA LEI MORAL de não falar o nome de Deus em vão.

O paralelo aí é mais do que óbvio.

E as regras cerimoniais são todas de DEPOIS do ingresso do pecado no mundo. O sábado é desde a própria Criação (Gên. 2:2, 3). Sabe quem ensina isso? Talvez alguns se surpreendam pois nunca seus instrutores religiosos lhes contaram--são os luteranos, presbiterianos, batistas, metodistas, congregacionais, anglicanos, e mais modernamente, ASSEMBLEIANOS em seus documentos confessionais de séculos ou importantes obras de instrução para a Igreja (como a Bíblia de Estudo Pentecostal, da CPAD, analisando Gên. 2:2, 3).

Se os assembleianos, que até são instruídos a dedicarem o “dia do Senhor” INTEIRAMENTE AO CULTO, na sua Bíblia de Estudo e Aplicação Pessoal, da CPAD, pág. 112, não levam a sério o que ensinam suas obras de tal importância para instrução da Igreja, o que se pode fazer? É apenas mais uma demonstração de quão tremenda tem realmente sido a influência dessa LAVAGEM CEREBRAL dispensacionalista, que para mim é pior do que a que a Soc. Torre de Vigia aplica sobre seus adeptos, as “testemunhas de Jeová”, pelo maior número de pessoas afetadas.

Ah sim, e já que diz que não tem as referências do que eu tanto acentuo sobre as origens dessas tendências “dianenhumistas” no evangelicalismo atual, pois estão aqui mesmo, pertinho, na seção de Estudos. Veja por este link, e não deixe de ver nos links indicados, num deles inclusive com o comentário do Pr. Russell Shedd (teólogo batista do maior prestígio e respeito) sobre qual Igreja é a maior propagadora no Brasil desses conceitos dispensacionalistas (pelo tempo de 20'), derivados da tal visão de 1830 da falsa profetisa que mencionei:



Stanley K
- Áqüila / Priscila -
- Áqüila / Priscila -

Status : no perfil, defina seu status ou deixe em branco.
Sexo : Masculino
Número de Mensagens : 757
Idade : 37
Cidade/Estado : Uberlândia - MG
Religião : Cristão
Igreja : Maranata
País : Brasil
Mensagens Curtidas : 14
Pontos de participação : 1815
Data de inscrição : 19/02/2015

Re: Quais mandamentos da Lei foram reafirmados na Nova Aliança?

Mensagem por Stanley K em Sab 25 Abr 2015, 17:54

Nobre Gilcimar a paz do Senhor Jesus!

Quando você falou sobre aquelas leis que fazem parte da consciência humana você listou algumas mas deixou uma ETC....
Quantas mais você colocaria ali?
Respeito como lei moral de Deus aquilo que citei, comportamentos que não são temporários, e sim eternos. Não acrescentaria o sábado pois como disse, o mandamento de guardar o sábado não é eterno. Suponhamos que Deus nos desse vida eterna aqui na terra, e em outros termos continuasse tudo como está, 7 dias da semana, tivéssemos que trabalhar para nosso sustento etc. Neste caso até poderia ser aceitável por ELE ter determinado que seria assim eternamente para o homem. Todavia não penso que no reino dos céus será assim.

Mas não só o sábado mas por falta de instrução ou de informação esse povo poderia fazer imagens de escultura para adorar e também achar que quem os criou foram os deuses...
Isso aqui seria outro tema irmão. Mas pense o seguinte, a imago dei os faz querer reconhecer um Deus como criador de tudo, consequentemente o fato de adorarem o sol, não os pode fazer culpados sendo que o verdadeiro não se revele a eles, entendeu? O que a bíblia diz que os faz se tornarem culpados, é ignorar toda a consciência que é através da imago dei, aqueles que dizem em seus corações que mané Deus o que, eu quero é aproveitar minha vida, logo este acaba sendo o maior transgressor das demais como mentir, matar, adulterar etc. É assim que penso.

Tem como só de consciência alguém sem a devida instrução saber tudo sobre Deus?
E este é o que Deus diz ser inaceitável a Israel. ELE se revelou a eles, todavia ELE diz que os israelitas chegaram a ser piores do que os ímpios.
A consciência relacionada a imago dei, se restringe apenas ao que pra mim é o básico para os homens. As leis morais são o básico para o homem. Imagina o homem que adultera, que é pedófilo, homossexual, o traidor e mentiroso, adepto ao aborto etc, nós até achamos que essas coisas são normais o homem fazer (influência de novelas até, os big brothers da vida, governos), todavia na verdade são coisas horríveis e abomináveis, mas o homem em seu estado caído não percebe isso.
Eu em particular acredito que existem homens que ignoram esta consciência desde a mocidade, e quando agem assim se distanciam cada vez mais de Deus e se aproximam de satanás e vice-versa.

Com respeito a esse assunto o conselho que Deus deu a Israel é que nunca diga a um estrangeiro que se chegar a Ele as seguintes palavras: O SENHOR , com efeito, me separará do seu povo...(Isaías 56:3)
Sim Gilcimar. Porque nesta época ai era isso, é o que os israelitas tinham como aliança com Deus, se os da casa precisam cumprir, imagina os de fora.

Mas na N.A. em Cristo, a ordem dada a nós foi passada em Atos 15, e não se faz apologia da lei, por causa da dispensação, agora não estamos mais debaixo da lei.

Graça e paz!



avatar
Gilcimar
- Áqüila / Priscila -
- Áqüila / Priscila -

Status : no perfil, defina seu status ou deixe em branco.
Sexo : Masculino
Número de Mensagens : 2190
Idade : 36
Cidade/Estado : Cariacica , ES
Religião : Cristianismo
Igreja : Adventista do Sétimo Dia?
País : Brasil
Mensagens Curtidas : 147
Pontos de participação : 5789
Data de inscrição : 10/03/2014

Re: Quais mandamentos da Lei foram reafirmados na Nova Aliança?

Mensagem por Gilcimar em Sab 25 Abr 2015, 18:39

Prezado Stanley....

Estou muito animado pois tenho a expectativa que vamos ter  um bom dialogo pois você foi muito organizado na tua resposta a minha postagem..

Stanley escreveu:Respeito como lei moral de Deus aquilo que citei, comportamentos que não são temporários, e sim eternos. Não acrescentaria o sábado pois como disse, o mandamento de guardar o sábado não é eterno. [u]Suponhamos que Deus nos desse vida eterna aqui na terra[u], e em outros termos continuasse tudo como está, 7 dias da semana, tivéssemos que trabalhar para nosso sustento etc. Neste caso até poderia ser aceitável por ELE ter determinado que seria assim eternamente para o homem. Todavia não penso que no reino dos céus será assim.

Não vamos viver a vida eterna aqui na terra nem mesmo renovada?
A eternidade dos justos vai ser em outro lugar?
Pois parece que você argumenta  que o ciclo semanal não existirá mais por isso e ficaria impossível termos o sétimo dia....
Só posso te garantir que a Arvore da Vida  vai dar  12 Frutos , dando seu fruto "MÊS" em "MÊS"
Estranho que não tenha o ciclo semanal  mas tem os 12 Meses (1 Ano)
Isso daria um assunto a parte num outro tópico....
Mas será que foi isso mesmo que você quis dizer?


Stanley escreveu:Isso aqui seria outro tema irmão. Mas pense o seguinte, a imago dei os faz querer reconhecer um Deus como criador de tudo, consequentemente o fato de adorarem o sol, não os pode fazer culpados sendo que o verdadeiro não se revele a eles, entendeu? O que a bíblia diz que os faz se tornarem culpados, é ignorar toda a consciência que é através da imago dei, aqueles que dizem em seus corações que mané Deus o que, eu quero é aproveitar minha vida, logo este acaba sendo o maior transgressor das demais como mentir, matar, adulterar etc. É assim que penso.


Isso não muda nada daquilo que eu disse pois também não podemos esperar que alguém que não teve oportunidades de receber instrução seja julgada por Deus no mesmo nível que os que receberam instrução ...
Mas quanto a Lei  Paulo disse que esses só podem  serem Lei para si mesmos quando por natureza   procedem  conforme a Lei ( Romanos 2:14)

Mas onde não há Lei  em forma nenhuma  não há transgressão e o pecado  não seria levado em conta ( Romanos 4:15 , Romanos 5:13) sem esquecer que Deus também não leva os tempos de ignorância  mas quando um homem é notificado por Deus deve buscar arrependimento( Atos 17:30)


Stanley escreveu:E este é o que Deus diz ser inaceitável a Israel. ELE se revelou a eles, todavia ELE diz que os israelitas chegaram a ser piores do que os ímpios.
A consciência relacionada a imago dei, se restringe apenas ao que pra mim é o básico para os homens. As leis morais são o básico para o homem. Imagina o homem que adultera, que é pedófilo, homossexual, o traidor e mentiroso, adepto ao aborto etc, nós até achamos que essas coisas são normais o homem fazer (influência de novelas até, os big brothers da vida, governos), todavia na verdade são coisas horríveis e abomináveis, mas o homem em seu estado caído não percebe isso.
Eu em particular acredito que existem homens que ignoram esta consciência desde a mocidade, e quando agem assim se distanciam cada vez mais de Deus e se aproximam de satanás e vice-versa.

Concordo com tudo isso  com um detalhe adicional:
Aquele gentio que chegasse a atingir o mesmo conhecimento  dos Israelitas conhecendo  aquilo que agrada a Deus tinha uma responsabilidade maior  que os outros com relação aquilo que ele podia ter de consciência da Lei.....


Stanley escreveu:Sim Gilcimar. Porque nesta época ai era isso, é o que os israelitas tinham como aliança com Deus, se os da casa precisam cumprir, imagina os de fora.

Mas na N.A. em Cristo, a ordem dada a nós foi passada em Atos 15, e não se faz apologia da lei, por causa da dispensação, agora não estamos mais debaixo da lei.

Em Atos 15 foi apresentada uma Lista daquilo que os gentios tinha que abster-se e  estava relacionada com aquilo que eles praticavam...
Eles tinham que abster-se daquilo que praticavam  e isso não serve de base para dizer que toda Lei  que existia desde do AT teria que ser abandonada...
Quanto a não estarmos mais debaixo da Lei  isso não significa  que a Lei deveria ser dispensada pois Paulo não vivia mas debaixo da lei mas acreditavam em todas as coisas de acordo com ela  e ele até mesmo incentivou  a prática da mesma em duas ocasiões ( Atos 24:14, Romanos 2:13 Efesios 6:2-3)

A Lei não foi totalmente abolida exceto naquilo que foi segundo Efesios 2:15  e podemos ver vários escritores do NT  citando vários mandamentos o apresentando como fonte  desses mandamentos a Lei que já existia...

Mas na continuação de nosso dialogo vamos nos aprofundar mais...

Abraços amado!

Stanley K
- Áqüila / Priscila -
- Áqüila / Priscila -

Status : no perfil, defina seu status ou deixe em branco.
Sexo : Masculino
Número de Mensagens : 757
Idade : 37
Cidade/Estado : Uberlândia - MG
Religião : Cristão
Igreja : Maranata
País : Brasil
Mensagens Curtidas : 14
Pontos de participação : 1815
Data de inscrição : 19/02/2015

Re: Quais mandamentos da Lei foram reafirmados na Nova Aliança?

Mensagem por Stanley K em Sab 25 Abr 2015, 19:21

Azenito a paz do Senhor Jesus!

Eu é que agradeço por participar irmão, afinal defendo o que creio pra glória do SENHOR e sei que você também está fazendo o mesmo.

entenderia--o sábado é DOMINGO para eles.

Então Azenito, como disse antes, mesmo que seja oficial, e real eu descordo. E sinceramente se fora assim deveriam guardar o domingo no modelo do sábado. Em todo caso nunca vi alguém defender isso desta maneira nestas igrejas, pelo menos eu não.

que passou a ser a posição dominante dos cristãos no evangelicalismo moderno.

Mas você tem certeza que fora da modernidade estas igrejas guardavam o domingo nesta condições? Em referência as leis o substituindo pelo sábado? Nunca ouvi falar nisso.

Mas isso só acentua o tamanho da LAVAGEM CEREBRAL do dispensacionalismo em seu viés de “lei abolida”, que desembocou no “dianenhumismo”.
Venho lhe mostrando que não penso assim sobre o sábado e domingo. Mas o dispensacionalismo não se restringe ao sábado Azenito. Estou debatendo o sábado porque é norma de lei, e eu sendo dispensacionalista, acredito que Deus agora relaciona com o homem pela aliança eterna em Jesus Cristo, onde as leis do A.T. não é utilizado como regras e condutas a serem seguidas. Porque isso não funcionou antes e não irá funcionar agora. A dispensação de Deus agora em Cristo abrange muito mais o direito que recebemos de ser participantes do corpo, regenerados pelo E.S. Isto sim faz toda a diferença. Um outro irmão aqui do site, até comentou outra vez que vocês Adventistas não buscam os dons espirituais. Então, não buscam dons espirituais mas procuram a todo custo se relacionarem com Deus pelas leis do A.T. Com todo respeito, isto ai não tá certo não Azenito.

Agora, toda a sua argumentação, além de ambígua, não leva em conta que os 10 Mandamentos são ESPECIALÍSSIMOS porque foram proferidos diretamente por Deus aos ouvidos de todo o povo, após o que Ele “nada acrescentou” (Deu. 5:22). E registrou nas tábuas de pedra--SÓ OS 10 MANDAMENTOS. Todas as demais leis, e regras, e instruções sobre ritos e cerimônias, foram dados a Moisés em outra ocasião para serem escritos NOS ROLOS de sua redação. Daí que tenho um texto meu acentuando que Moisés cumpriu o papel de mero “office boy” no evento da outorga da lei no Sinai. Afinal, ele era apenas portador de uma cópia do DISCURSO de Deus a todo o povo.
Ok Azenito. Poderíamos comentar sobre esta ambiguidade se você esclarecer.
E sobre os 10 mandamentos, eu nunca disse que não são especialíssimo, ao contrário, o A.T. é importantíssimo para compreender os propósitos de Deus em um todo. Não questiono nada que esteja escrito no decálogo desde que colocado na ordem certa. Ou se segue as leis ou a Cristo. Se for seguir a Cristo, receber o que ELE conseguiu pra nós, pra nossa salvação, coincidindo com os dez mandamentos no corpo, não vejo problema. Todavia ratifico que vejo uma grande superioridade, gritante mesmo na N.A. onde agora todos os propósitos da lei para o homem descritos na lei que antes não eram alcançados e cumpridos, agora em Cristo se obtém algo que a lei escrita não conseguia e não consegue trazer. Assim como já comentei antes contigo sobre o amor a Deus. É dito na lei, amarás o Senhor teu Deus sob todas as coisas... mas e ai?! Para por ai. E o pecado acaba confundindo o homem não somente ao amor à Deus mas também ao seu próximo. E na N.A.? Na N.A. a regeneração feita no homem pelo E.S. conduz o homem a compreender as coisas do Espírito e só assim é possível obter verdadeiros adoradores.

Sua tentativa de transformar o sábado no ÚNICO preceito cerimonial dessa lei assim solenemente dada é um equívoco. O sábado NÃO É CERIMONIAL pelas seguintes razões:
Azenito, você diz que eu fiz isso por eliminação? Ou seja se eu nego que o sábado seja uma lei moral, logo é cerimonial? Porque não sei onde e nem quando eu disse que o sábado é cerimonial.
O que digo é que teve um propósito para o povo de Israel e está ligado à terra prometida que também é sombra da verdadeira espiritual, por isso está nas tábuas, não por ser moral que Deus inclui a guarda do sábado ali, mas sim por ser um estatuto perpétuo para o povo de Israel naquela ocasião em que ficou registrado como um sinal entre os israelitas e Deus. No A.T. era imprescindível a guarda.

Graça e paz!





Stanley K
- Áqüila / Priscila -
- Áqüila / Priscila -

Status : no perfil, defina seu status ou deixe em branco.
Sexo : Masculino
Número de Mensagens : 757
Idade : 37
Cidade/Estado : Uberlândia - MG
Religião : Cristão
Igreja : Maranata
País : Brasil
Mensagens Curtidas : 14
Pontos de participação : 1815
Data de inscrição : 19/02/2015

Re: Quais mandamentos da Lei foram reafirmados na Nova Aliança?

Mensagem por Stanley K em Qua 29 Abr 2015, 21:28

Gilcimar a paz do Senhor Jesus!

Não vamos viver a vida eterna aqui na terra nem mesmo renovada?
A eternidade dos justos vai ser em outro lugar?
Gilcimar, eu penso que o plano original de Deus é totalmente diferente, Paulo diz que ninguém consegue imaginar isso. Então eu é que lhe pergunto, você acha que vai ter dias de semana como referência a um dia, uma semana, um mês, 1 ano como é agora?
Eu não creio que será assim. E mesmo assim, o significado do sábado pra você não é este momento em que seremos glorificados? Este não é o descanso eterno?

Pois parece que você argumenta que o ciclo semanal não existirá mais por isso e ficaria impossível termos o sétimo dia....
Só posso te garantir que a Arvore da Vida vai dar 12 Frutos , dando seu fruto "MÊS" em "MÊS"
Estranho que não tenha o ciclo semanal mas tem os 12 Meses (1 Ano)
Não sei se isso pode indicar que será "marcação" de tempo pra nós homens. É importante considerar que temos um dia de 24 horas porque Deus assim determinou, isto que significa uma volta completa da terra. Todavia precisamos lembrar que haverá um reino nos céus, diz que tudo se fará novo, pessoalmente eu penso que tudo será diferente.

Isso daria um assunto a parte num outro tópico....
Mas será que foi isso mesmo que você quis dizer?
Daria mesmo.
Foi isso que quis dizer, Deus diz que o plano de salvação é para eternidade, se vamos viver agora uma eternidade com Deus, porque dias, semanas anos e séculos? Acredito que até isso será novidade pra nós.

Isso não muda nada daquilo que eu disse pois também não podemos esperar que alguém que não teve oportunidades de receber instrução seja julgada por Deus no mesmo nível que os que receberam instrução ...
Mas quanto a Lei Paulo disse que esses só podem serem Lei para si mesmos quando por natureza procedem conforme a Lei ( Romanos 2:14)
Gilcimar, uma vez eu compartilhei contigo minha interpretação sobre este ensinamento de Paulo, e parece que você não entendeu. Entenda uma coisa, o verso 13 não passa de uma observação de Paulo sobre a justificação pela lei. Você se concentra tanto na lei, que está citando o 13 quando estamos falando sobre alguém que não recebeu lei, e isto descarta o 13.
Mais uma vez, o inicio do verso 12 faz ligação com o inicio do verso 14 e a continuidade do 14 é esclarecida com o verso 15. Talvez você discorde que seja assim, todavia eu creio ser assim, os que não são de Israel são gentios, então muitos deduzem que todos os outros seres humanos do A.T. (gentios) eram réprobos. Eu não creio assim, e acredito que Paulo traz respaldo a isso nesta passagem, e assim o inclusivismo se torna possível.

Mas onde não há Lei em forma nenhuma não há transgressão e o pecado não seria levado em conta ( Romanos 4:15 , Romanos 5:13) sem esquecer que Deus também não leva os tempos de ignorância mas quando um homem é notificado por Deus deve buscar arrependimento( Atos 17:30)
Só que você está considerando somente lei escrita Gilcimar, quando na verdade existe também a lei da consciência a qual Paulo ensina.

Em Atos 15 foi apresentada uma Lista daquilo que os gentios tinha que abster-se e estava relacionada com aquilo que eles praticavam...

Gilcimar eu discordo de ti. Veja o que eles dizem antes:

Agora, pois, por que tentais a Deus, pondo sobre a cerviz dos discípulos um jugo que nem nossos pais nem nós pudemos suportar?
Mas cremos que seremos salvos pela graça do Senhor Jesus Cristo, como eles também.
Atos 15:10,11

Outrossim você tem certeza que aquilo citado no verso 20 está relacionado em especial às práticas dos gentios? Impossível. A começar pelo primeiro ponto os ídolos, sabe como eu que isso não é exatamente adorar imagens de esculturas etc, abrange muito mais que isso. Pra mim as observações são feitas no âmbito de alertar exatamente contra os pecados que envolvem os piores comportamentos morais, e acabam afastando qualquer homem definitivamente de Deus.

e isso não serve de base para dizer que toda Lei que existia desde do AT teria que ser abandonada...

Claro que não. O que você precisa entender ai é que não queriam colocar sob os gentios nada das ordenanças da lei que nem mesmo os israelitas cumpriram, e isto envolve a guarda dos sábados. A preocupação deles eram as atitudes, os comportamentos que iriam os escravizar, enganar, e trazer sob eles a ira de Deus.

Quanto a não estarmos mais debaixo da Lei isso não significa que a Lei deveria ser dispensada pois Paulo não vivia mas debaixo da lei mas acreditavam em todas as coisas de acordo com ela e ele até mesmo incentivou a prática da mesma em duas ocasiões ( Atos 24:14, Romanos 2:13 Efesios 6:2-3)

Você não tem nada no N.T. indicando que eles observavam as leis do A.T., ao contrário tem muitas indicações e ensinamentos de que sob autoridade apostólica por meio de Cristo, esclareceram a dispensação dos tempos nos fazendo entender que não é pela lei que alcançamos a salvação, e sim pela renovação de vida que obtemos pela fé em Cristo.
Deus não irá contrariar suas leis (em especial as morais) na condução e edificação da igreja Gilcimar, ao contrário, ela continua, mas não como regra a ser seguida, porque se você for usar como regra, volta à antiga aliança, esta mistura que vocês fazem não tem respaldo bíblico.

A Lei não foi totalmente abolida exceto naquilo que foi segundo Efesios 2:15 e podemos ver vários escritores do NT citando vários mandamentos o apresentando como fonte desses mandamentos a Lei que já existia...
Certo. Mas vamos direto ao ponto, o negócio de vocês é o sábado. Eles iniciaram a igreja, ensinaram tudo aquilo que é necessário para se dar continuidade à igreja, dons espirituais, nomenclaturas, conselhos comportamentais, problemas culturais, mantém isso, não mantém aquilo, como funciona a igreja, advertências, alertas, etc etc. Onde eles fazem a observação à igreja sob a guarda do sábado? Não tem. Ao contrário temos vários versos que vocês não aceitam que pra nós está claro a ordem clara de não se apegar a tal ordenança (guarda do sábado) do A.T.
A não ser que tenha esta observação sob o sábado?

Graça e paz!

avatar
Ernesto
- Áqüila / Priscila -
- Áqüila / Priscila -

Status : no perfil, defina seu status ou deixe em branco.
Sexo : Masculino
Número de Mensagens : 1185
Idade : 88
Cidade/Estado : Limeira. SP
Religião : crista
Igreja : evangelica
País : brasil
Mensagens Curtidas : 167
Pontos de participação : 3259
Data de inscrição : 26/11/2014

Re: Quais mandamentos da Lei foram reafirmados na Nova Aliança?

Mensagem por Ernesto em Qua 20 Maio 2015, 10:35

Gilcimar diz:

Não vamos viver a vida eterna aqui na terra nem mesmo renovada?
A eternidade dos justos vai ser em outro lugar?
Pois parece que você argumenta que o ciclo semanal não existirá mais por isso e ficaria impossível termos o sétimo dia....
Só posso te garantir que a Arvore da Vida vai dar 12 Frutos , dando seu fruto "MÊS" em "MÊS"
Estranho que não tenha o ciclo semanal mas tem os 12 Meses (1 Ano)
Isso daria um assunto a parte num outro tópico....
Mas será que foi isso mesmo que você quis dizer?

Ernesto responde;

Olá irmão! Vc. se esqueceu de Isaías 62:22-23, Porque, como os céus novos e a terra nova que eu hei de fazer estarão diante da minha face, diz o SENHOR, assim há de estar a vossa posteridade e o vosso nome.
E será que, desde uma festa da lua nova até a outra e de um SÁBADO á outro, virá toda carne a adorar perante mim, diz o SENHOR.

Abraços Ernesto

Conteúdo patrocinado

Re: Quais mandamentos da Lei foram reafirmados na Nova Aliança?

Mensagem por Conteúdo patrocinado


    Data/hora atual: Sab 18 Nov 2017, 23:24