F.E. A Doutrina de Jesus Cristo.

--------------------------------------
OLÁ, SEJA BEM VINDO AO FÓRUM EVANGELHO.

CASO DESEJE PARTICIPAR DE DEBATES FAÇA SEU REGISTRO.

ESTE FÓRUM É ABERTO A PESSOAS DE TODOS OS CREDOS.

SE PREFERIR SER APENAS UM LEITOR, ACOMPANHE AS POSTAGENS.

"Conheçamos e prossigamos em conhecer a YHVH ( י ה ו ה )..." (Oséias 6.3)

Norberto
Administrador do Fórum Evangelho

Fórum evangélico, aberto à participação de pessoas de qualquer credo ou religião.


Cristo morreu na quarta, quinta ou sexta-feira?

Compartilhe
avatar
Norberto
ADMINISTRADOR
ADMINISTRADOR

Status : "Conheçamos e prossigamos em conhecer a YHVH ( י ה ו ה )" (Oséias 6.3)
Sexo : Masculino
Número de Mensagens : 4296
Cidade/Estado : .
Religião : .
Igreja : .
País : .
Mensagens Curtidas : 154
Pontos de participação : 17341
Data de inscrição : 17/11/2008

Cristo morreu na quarta, quinta ou sexta-feira?

Mensagem por Norberto em Qui 15 Dez 2011, 19:35

.
CRISTO MORREU NA QUARTA, QUINTA OU SEXTA-FEIRA?


“Três dias e três noites” – Jesus quando cita Jonas (cap. 1:17), em Mateus 12:40, emprega a frase "três dias e três noites". A pergunta quanto ao tempo que Jesus permaneceu na sepultura surgiu de uma incompreensão moderna da chamada "contagem inclusiva", método comum na Antigüidade, segundo o qual se contava tanto o dia (ou ano ou mês) no qual começava um período, quanto o dia em que terminava, não importando quanto pequena fosse a fração desse dia (ou ano ou mês) inicial ou final. Eis alguns exemplos bíblicos:

No livro de II Reis 18:9-10, lemos o seguinte: “No quarto ano do rei Ezequias que era o sétimo ano de Oséias, filho de Elá, rei de Israel, Salmanasar, rei da Assíria, subiu contra Samaria, e a cercou e, ao fim de três anos, tomou-a. No ano sexto de Ezequias, que era o ano nono de Oséias, rei de Israel, Samaria foi tomada.”. Repare que Salmanasar subiu contra samaria do quarto ano de Ezequias, e a tomou no ano sexto. Hoje, nós diríamos que Salmanasar levou dois anos para tomar Samaria, (6-4=2) porem o texto bíblico diz “ao fim de três anos”. Ou seja, pelo método da contagem inclusiva, foram contados o 4º, 5º e 6º ano do reinado de Ezequias.

A Bíblia dá vários períodos de "três dias" que concluíram DURANTE o terceiro dia, e NÃO DEPOIS do terceiro dia, e que portanto não eram períodos de três dias completos de 24 horas. Veja Gênesis 42:17-29; conferir I Reis 12:5, 12 com II Crônicas 10:5 e 12.
Há exemplos deste "contagem inclusiva", não somente entre os judeus, mas também entre outros povos da Antigüidade. Esse sistema era comum no Egito, Grécia e Roma, e ainda é usado hoje no Extremo Oriente. Em alguns países do Oriente se computa a idade dando à pessoa um ano mais do que se dá no Ocidente. Assim um coreano que diz ter 25 anos tem somente 24 segundo a contagem ocidental. Segundo o cômputo chinês, um menino que nasce na última parte do ano tem dois anos no ano seguinte, pois está vivendo o segundo ano de sua vida, conforme o calendário; e no começo do ano seguinte completará três anos de vida mesmo que só um desses anos seja um ano completado. Os gregos chamavam a Olimpíada, que se realizava de quatro em quatro anos, de pentaeteris (período de cinco anos).

Como o costume de empregar o cômputo inclusivo está bem comprovado por seu uso entre os hebreus, em outras nações antigas no Oriente até nos tempos modernos, parece pouco razoável entender as palavras de Jesus quanto ao período de três dias segundo o uso de nosso método matemático moderno ocidental. Os ouvintes de Jesus contaram os "três dias", segundo o seu costume, em forma sucessiva:

- I - O dia da crucificação;

- II - O dia depois desse acontecimento;

- III - O "terceiro dia" depois do dito acontecimento (segundo o cômputo moderno seria apenas o segundo dia).

Podemos ainda perguntar em que dia se cumpriu essa profecia de Jesus acerca dos "três dias". A resposta é: que se cumpriu no “primeiro dia da semana" (Marcos 16:9; Mateus 28:1). Nas últimas horas desse "mesmo dia (Lucas 24:1 e 13), dois discípulos se encontraram com Jesus no caminho de Emaús, e ao falar da crucificação de seu Mestre e do seu profundo desapontamento, afirmaram: "É já este o terceiro dia desde que tais coisas sucederam" (Lucas 24:21). Quando Jesus apareceu aos doze no cenáculo, disse-lhes: "Assim está escrito que o Cristo havia de padecer e ressuscitar dentre os mortos no terceiro dia" (Lucas 24:26). O mesmo disse Paulo, mais tarde: "Ressuscitou ao terceiro dia, segundo as Escrituras" (I Cor. 15:4). É evidente que o domingo corresponde ao "terceiro dia".

Se o domingo é o "terceiro dia", qual foi então o dia da crucificação? Evidentemente a sexta-feira anterior, o dia da preparação. Isso concorda exatamente com a afirmação de Lucas de que as mulheres saíram sem terminar o processo do embalsamento no dia da preparação porque se aproximava o sábado, "e no sábado descansaram, segundo o mandamento", antes de regressarem à tumba "no primeiro dia da semana" (Lucas 23:54 a 24:1). Não esperaram vários dias, como imaginam os que afirmam que Jesus morreu na quarta-feira e consideram que o sábado aqui mencionado era mais um dia de festa ou de repouso cerimonial. E tem mais um detalhe, a frase: "pois era grande o dia daquele sábado" sugere que naquele ano o dia de festa coincidiu com o sábado semanal (veja João 19:31).

Existe ainda uma dúvida comum: Porque Jesus disse “três dias e três noites” ao invés de apenas três dias? Não seria esta explicação prova de que Ele ficaria 72 horas na sepultura? A resposta é não, pois a expressão “três dias e três noites” tem o mesmo significado que dizer apenas “três dias”. Biblicamente, são expressões intercambiáveis. Vejamos os exemplos abaixo:

I Samuel 30:12,13 declara: “... pois havia três dias e três noites que não comia nem bebia água. Então Davi lhe perguntou: De quem és tu, e donde vens? Respondeu ele: Sou um moço egípcio, servo dum amalequita; e o meu senhor me abandonou, porque adoeci há três dias.”

Temos outro exemplo em Ester 4:16, e 5:1. Acompanhe: “... jejuai por mim, e não comais nem bebais por três dias, nem de dia nem de noite ... sucedeu, pois, que ao terceiro dia Ester se vestiu com trajes reais...” Fica claro que o período de três dias não havia chagado ao fim quando ela se apresentou ao rei, caso contrário, ela estaria no quarto dia.

As crianças em Israel eram circuncidadas ao terem 8 dias (Gen. 17:12), porém, devido a contagem inclusiva a circuncisão ocorria no oitavo dia.

O Dia Bíblico – Vale a pena lembrar que o dia bíblico começa e termina no pôr do sol. O livro de Gênesis, nos capítulos 1 e 2, descreve os dias como sendo “tarde e manhã, o primeiro (segundo, terceiro...) dia”. Assim, a “tarde” compreende a parte escura de um dia, e a manhã a parte clara.

Fábio Trevisan
.

    Data/hora atual: Sex 15 Dez 2017, 06:06